Com a menor taxa de juros da história, a poupança definitivamente não é o melhor lugar para guardar seus recursos. Os investidores que deixarem seu dinheiro lá, provavelmente vão perder seu poder de compra pois o rendimento está insatisfatório.

Diante disso, muitos deles estão em dúvida sobre onde investir seu capital e a decisão dos investidores, principalmente os conservadores, está oscilando entre títulos de renda fixa como CDB e CDI, ou  ativos mais rentáveis, que exigem mais risco também.

Procurando sobre novas experiências no mercado financeiro, muito se cogita sobre a busca pelos criptoativos. O Bitcoin, por exemplo, que  é considerada a primeira moeda digital descentralizada mundial, acabou de completar 11 anos de existência e vem ganhando força nessa transição de investimentos pois, desde que surgiu, foi o ativo que mais valorizou no mundo.

Valorização do Bitcoin

Para se ter uma ideia, só no último ano, o Bitcoin valorizou cerca de 140%, e isso acaba atraindo várias pessoas que querem especular em cima da moeda virtual, ou até mesmo investir.

É preciso estar atento ao mercado das criptomoedas pois ele sempre esta mudando, inclusive, especialistas alertam que, se algum investidor deseja comprar Bitcoins, o momento é agora.

Hoje, 12/11/2019, o Bitcoin está no valor de $ 8.700,31 dólares, o que equivale a R$ 36.321,18 e a previsão para os próximos seis meses é de que este valor aumente significativamente devido ao Halving que está previsto para acontecer no dia 20 de maio de 2020.

O que é Halving?

Halving é um processo no mundo das moedas virtuais, que é caracterizado pelo corte de metade da recompensa na mineração dos Bitcoins, ou seja, se hoje o indivíduo recebe 5 Bitcoins de recompensa quando minera, depois do Halving, passará a receber 2,5. 

Essa queda de recompensa acontece aproximadamente de quatro em quatro anos, e cada vez que ela ocorre, o número de mineradores de Bitcoins diminui, aumentando a escassez da criptomoeda, e quanto mais escasso um ativo é, mais ele tende a ser valorizado.

A data é aproximada pois ela é medida por número de blocos a serem mineirados, não por dias, então, tudo depende da velocidade que a criptomoeda é processada.

Ao analisar o mercado financeiro dos últimos Halvings, Paulo Aragão, economista especialista em Criptomoedas, diz que “a gente sempre vê que tem uma alta pré-Halving durante os seis últimos meses antes dele porque o mercado acaba se precificando um pouco antes do fato acontecer.”

Mas na verdade, mesmo tendo indicativos anteriores, o fato é que ninguém sabe ao certo o futuro, e pode até ser que o halving não traga grande valorização de preços ao Bitcoin. Sendo assim, se faz necessário acompanhar notícias do mercado e estudar bastante antes de qualquer investimento.

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*