As empresas do grupo comandado por Mark Zuckerberg estão entre as mais queridas da atualidade, pois oferecem ferramentas de interação, além de facilidades para o dia a dia.

A rede social Facebook, por exemplo, possui 6 milhões de contas ativas mensalmente e foi considerada a maior rede social virtual em todo o mundo, enquanto o WhatsApp, é o aplicativo mais utilizado do momento. Até mesmo empresas vêm adotando as mensagens instantâneas para facilitar sua comunicação com os funcionários e com os clientes.

Ambas abrangem todos os perfis de usuários e, por causa disso, ganham novidades constantes, inclusive, uma de suas próximas estratégias, é a realização de transações financeiras nos próprios aplicativos.

Integração dos Produtos do Facebook

Em abril de 2019, durante a Conferência Anual do Facebook com desenvolvedores, o presidente-executivo Mark Zuckerberg, apresentou as principais novidades da empresa, entre elas, a integração entre todas as soluções – Facebook, Instagram, Messenger e WhatsApp.

Dessa forma, será possível enviar dinheiro e realizar pagamentos dentro dos próprios aplicativos, como o Messenger e WhatsApp, que já tiveram a ferramenta testada na Índia, que é um dos seus principais mercados.

Diversas instituições financeiras brasileiras já começaram a oferecer funcionalidades através do WhatsApp e Messenger, utilizando os chatbots. Banco do Brasil, Bradesco e Itaú, por exemplo, permitem o uso dos apps para consultar saldo e fazer transferências.

A vantagem dessa ferramenta é que reduz os custos operacionais excessivos dos serviços bancários, resolvendo de maneira automatizada as consultas dos clientes.

A medida que essas funcionalidades vão sendo conhecidas pelos usuários, o seu uso e demanda irão aumentar cada vez mais, até que outras empresas também decidam investir nas redes sociais para operar transações financeiras.

Libra: A Criptomoeda do Facebook

Em junho, o Facebook divulgou oficialmente a moeda digital do grupo chamada Libra. Com a criação da mesma, fica assim, consolidada a entrada definitiva do grupo de Mark Zuckerberg no mercado financeiro e na oferta de serviços digitais.

Com o questionamento de segurança dos dados pessoais dos usuários, o grupo lançou uma nova subsidiária que se compromete a ser a carteira digital da nova criptomoeda, a Calibra. Com essa iniciativa, o Facebook pretende separar os dados pessoais, dos dados financeiros.

Mesmo perdendo muitos parceiros nesse trâmite, a Associação Libra continua administrando e criptografando o projeto, com o aporte financeiro de grandes empresas como PayU, Uber, Spotify e Ribbit Capital.

Como a Libra Irá Funcionar Entre as Redes Sociais?

A Libra não se limitará ao Facebook e, quando estiver em funcionamento, a associação espera que “fortaleça bilhões”, dando às pessoas acesso a serviços financeiros sem necessariamente exigir uma conta bancária.

A expectativa é que a Libra possa ser usada para transferências entre usuários no WhatsApp e no Messenger inicialmente. O objetivo é que seja tão simples como enviar uma mensagem de texto ou de áudio.

Ainda existem previsões de que, futuramente, a moeda digital poderá ser usada para:

  • pagar contas e faturas
  • fazer compras em estabelecimentos físicos e online
  • comprar passagens de transporte público

Mesmo com essas medidas, ainda não foi divulgado em quais países a Libra será implementada.

Gostou da novidade? Compartilhe com seus amigos.

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*