Pagar impostos é uma coisa inevitável, principalmente no Brasil já que eles estão presentes em tudo o que compramos. E, antes de começarmos, saiba que nós brasileiros somos um dos povos que mais pagam impostos no mundo, para se ter ideia, apenas para pagar todos os impostos anuais, precisamos trabalhar nada menos que 153 dias.

Mas será que sabemos quais impostos pagamos e no que eles estão presentes? A resposta é simples, a grande maioria da população não! E é por isso que preparamos essa matéria, nela, vamos mostrar 7 impostos que você paga e possivelmente nem sabe que paga. Dito isso, vamos conhecer um pouco mais dos impostos que todo brasileiro precisa pagar.

Tipos de Impostos

Antes de mais nada, é preciso distinguir os dois tipos de impostos que existem, os diretos e os indiretos.

Os impostos diretos são aqueles declarados, que você sabe claramente que vai ter que pagar, por isso são mais comumente conhecidos pelas pessoas. Eles são geralmente provenientes de ações de compra, aquisição, posse ou ganhos.

Para exemplificar, quem possui um carro por exemplo tem plena consciência de que todo ano pagará o IPVA, um imposto muito comum, ou quem possui uma casa sabe que terá de pagar o IPTU, outro imposto muito comum. Ambos exemplificam muito bem o que são impostos diretos.

Já os impostos indiretos são aqueles que ficam “escondidinhos” no valor total dos produtos, bens ou serviços, alguns podem representar até 80% do valor que você paga no ato da compra. O problema é que na maioria das vezes você sequer tem consciência de que está pagando essa taxa, já que os seus custos estão embutidos e são repassados dessa forma ao consumidor final.

Um bom exemplo desse tipo de imposto é o ICMS que está presente em basicamente todos os produtos ou serviços que adquirimos. Quem já viajou para os Estados Unidos, com certeza aprendeu um pouco mais sobre esse imposto específico, afinal, lá eles também são cobrados, só que ele aparece no momento que você vai pagar sua compra no caixa, são os famosos plus tax (mais taxa), que normalmente variam entre 6% e 10%, dependendo da regulamentação de cada estado.
Impostos diretos

Como falamos anteriormente, alguns impostos são mais conhecidos que outros, porém apesar de já ter ouvido falar, muitas pessoas também não sabem muito bem o que são, nem como são cobrados. Por isso, conheça agora mais detalhes sobre eles:

1. IPTU – Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana

O que é: o IPTU está previsto na Constituição Federal e é de competência municipal e do Distrito Federal, quem paga esse imposto são pessoas físicas ou jurídicas que possuem propriedade imóvel localizada em zona ou extensão urbana.

Valor: o valor desse imposto é fixado e baseado no valor venal do imóvel, esse se trata do valor que ele teria se fosse colocado à venda, com pagamento à vista e em curto espaço de tempo, por isso é inferior ao valor de mercado do imóvel.
Quando o contribuinte paga esse Imposto: todos os anos quem se encaixa na regra para pagamento do IPTU deve pagá-lo, ele geralmente é cobrado no início do ano, mas isso pode variar de acordo com a cidade, e pode ser pago em cota única ou parcelado mensalmente ao longo daquele ano.

2. IPVA – Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores

O que é: o IPVA também está previsto na constituição e incide sobre a propriedade de veículos. Trata-se de um imposto estadual, por isso é de competência somente de cada um dos 26 Estados brasileiros, além do Distrito Federal.

Valor: esse imposto é calculado sobre o valor do veículo, porém o percentual varia de acordo com o estado, sendo que pode variar de 1% a 4% do valor do veículo. Quando o contribuinte paga esse Imposto: ele também é pago todos os anos, geralmente no início do ano, porém pode variar de acordo com cada estado. Assim como o IPTU, ele também pode ser pago em cota única ou parcelado mensalmente.

3. IRPF – Imposto de Renda Pessoa Física

O que é: o IRPF é um imposto federal calculado com base na renda tributável declarada, ele incide sobre todas as pessoas físicas que tenham tido naquele ano um ganho acima de um determinado valor mínimo (no ano-calendário de 2018, exercício de 2019, esse valor foi a soma anual de R$ 28.559,70), ou seja, indivíduos com ganhos abaixo desse valor ficaram isentos.
Ele é retido na fonte, ou seja, no salário mensal ou cobrado com base em outros rendimentos. Todos os anos o contribuinte sujeito ao IRFP deve prestar informações pela Declaração de Ajuste Anual (DIRPF) para apurar possíveis débitos ou créditos (no caso de restituição de imposto).

Valor: A alíquota é variável, sendo proporcional à renda tributável (progressiva), variando entre 7,5% a 27,5%.
Quando o contribuinte paga esse Imposto: Todos os anos, inclusive ele deve ser declarado até o dia 30 de abril, caso o contribuinte deixe passar o prazo pagará multa.

4. ITBI – Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis Inter-Vivos

O que é: o ITBI é um imposto de competência municipal que incide sobre a transferência de propriedades imóveis.

Valor: a alíquota utilizada é fixada em lei ordinária do município competente, sendo que ela varia de acordo com o valor venal do imóvel, costumando girar entre 2% e 3%.
Quando o contribuinte paga esse Imposto: ele deve ser pago por quem compra o imóvel antes da oficialização da compra.
Impostos indiretos

Apesar de algumas pessoas já terem ouvido falar sobre alguns deles, estes são desconhecidos para a maioria da população. Além disso, mesmo quem os conhece sabe pouco sobre eles.

5. ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços

O que é: esse imposto previsto na constituição é de competência estadual e incide sobre a movimentação de mercadorias em geral. Para resumir, basicamente tudo o que você adquire possui ICMS.

Valor: o valor vai variar de acordo com a tributação estabelecida pelo estado, mas costuma estar entre 8% e 12% sobre o valor inicial dependendo também de qual o produto.
Quando o contribuinte paga esse Imposto: quando está adquirindo um produto ou contratando um serviço.

6. IOF – Imposto sobre Operações Financeiras

O que é: o IOF é um imposto federal que incide sobre operações de crédito, de câmbio e seguro e operações relativas a títulos e valores mobiliários, enfim basicamente sobre todas operações financeiras.

Valor: varia de acordo com a operação financeira, em função disso as alíquotas utilizadas podem ser fixas, variáveis, proporcionais, progressivas ou regressivas.
Quando o contribuinte paga esse Imposto: quando realiza transações financeiras, como por exemplo empréstimos, algumas transações feitas com cartões de crédito, cheque especial, operações de câmbio, seguro, compra de títulos ou ativos financeiros, entre outras.

7. IPI – Imposto Sobre Produtos Industrializados

O que é: o IPI é um imposto federal que incide tanto sobre produtos nacionais quanto importados, ele está presente em muitos produtos, como eletrodomésticos e automóveis por exemplo.

Valor: a alíquota vai depender do produto, podendo ser fixa, variável ou zero. Mas geralmente costuma variar entre 5% e 9% do valor do produto.
Quando o contribuinte paga esse Imposto: ele é cobrado toda vez que um produto sai da fábrica, ou no caso dos produtos importados, o IPI é cobrado no porto. Porém chega até nós como todos os outros impostos indiretos, embutido no valor total. Vale ressaltar que ele deve estar destacado na nota fiscal.

O que pode ocorrer caso você não pague os impostos obrigatórios?

Bem pra início de conversa já é bom alertar de que essa não é uma boa ideia. Se você não fizer o pagamento na data correta dos impostos diretos por exemplo, você deve dar um jeito e pagar mesmo assim, talvez até mesmo negociar, já que a falta do pagamento pode ter consequências realmente severas.

Para se ter ideia da gravidade do problema, no caso de não pagar o IPTU ou IPVA, pode ocorrer leilão do imóvel ou apreensão do veículo. Embora o melhor mesmo seja pagar em dia uma vez que ao pagar com atraso, o valor fica sujeito ao acréscimo de juros de mora, multas, taxas ou tarifas adicionais. No caso de nós pessoas físicas os impostos indiretos já estão contidos nos produtos ou serviços, dessa forma fica bem difícil deixar de pagá-los.

Compartilhe com seus amigos e deixe eles informados sobre esses impostos!

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*