Os serviços de encomendas dos Correios (Sedex e PAC), para postagens por pessoa física, tiveram um novo aumento este mês de 6,34%.

Em fevereiro, o valor para entrega de produtos já tinha sofrido um reajuste de 8,03%, e no segundo semestre, ocorreu mais um. Esse acréscimo nas taxas dos serviços do Correio é válido para os serviços de SEDEX, onde estão incluídos os Sedex Hoje, Sedex 10 e Sedex 12 e hoje o valor de uma encomenda ficou assim: Se no meio do ano, após o primeiro reajuste, você pagava uma taxa de R$ 20,00 para entrega de determinado produto na sua casa, a partir de outubro de 2019, esse valor passa a ser de R$ 21,26.

Motivo do Reajuste

De acordo com uma nota publicada pelos Correios, “A tabela de serviços de Encomendas para postagens do varejo, ou seja, pessoa física, foi reajustada com uma média ponderada de 6,34%. O índice é uma média nacional, que varia de acordo com o tipo de postagem, origem e destino. A atualização dos preços ocorre para equilibrar o impacto dos custos na prestação dos serviços. Destacamos que esse reajuste não se aplica aos clientes que possuem contratos com os Correios”,

A empresa acredita que devido a grande concorrência no mercado, esse reajuste foi necessário para “readequação do impacto dos custos na prestação de serviços.”

No entanto, atualmente os Correios detêm o monopólio da prestação do serviço postal.

Privatização dos Correios

No final de agosto, o Presidente Jair Messias Bolsonaro divulgou uma lista de estatais que serão privatizadas em seu Governo e os Correios estão nessa lista.

Com a confirmação presidencial, estudos públicos já foram autorizados para começar a encaminhar essa privatização, juntamente com os Comitês com membros da Casa Civil, Ministério da Economia, Ministério e Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações, além de representantes da Estatal, claro.

Mas vale destacar que essa medida não pode ser adotada apenas por decisão presidencial, ela ainda requer o aval da Câmara e do Senado e ainda não foi determinado o modelo de desestatização mais adequado para a empresa e para o país.

Estima-se que após esses estudos e discussões entre os envolvidos, será decidido se os Correios serão desestatizados como abertura de capital, venda de ações ou privatização.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*