Desde setembro deste ano, os sistemas de ônibus de São Paulo já aceitam o pagamento da passagem através do cartão de crédito, débito ou pré-pago.

O programa foi introduzido em 12 linhas da capital paulista que transportam em média 2,9 milhões de passageiros mensalmente.

Os 200 ônibus utilizados nesse projeto piloto são equipados com catracas com NFC (tecnologia que permite a realização de pagamentos através de aproximação). O pagamento pode ser realizado através da aproximação de cartões de crédito equipados com essa tecnologia, ou até mesmo smartphones compatíveis.

O pagamento NFC facilita na eficiência do serviço de transporte e acessibilidade da população e, segundo a SPTrans, até o momento, cerca de 6 mil passageiros utilizaram essas novas formas de pagamento da tarifa e R$ 4,30.

“É pouco usado o pagamento com cartão de crédito. Eu vejo no máximo 5 pessoas por dia, das 6h da manhã até as 17h, que é o meu turno aqui no ônibus”, afirma Benivaldo Maximo, que trabalha como cobrador há 10 anos.

Teste da Catraca

O R7 realizou testes em duas linhas de ônibus que circulam na Av.Paulista: A linha 715M/10 (Jd. Maria Luiza – Lgo. da Pólvora) e a 917M/10 (Morro Grande – Metrô Ana Rosa).

Na primeira, o pagamento da passagem foi realizado através do cartão de crédito e o cobrador soube informar corretamente aos passageiros como eles poderiam realizar a transação. A mesma foi realizada com sucesso.

Já na segunda linha, a equipe tentou pagar a condução utilizando um smartphone mas não obteve sucesso. Foram realizadas cinco tentativas de pagamento, mas não foi possível concluir a operação. Em seguida, foi utilizado um cartão de crédito na mesma catraca e, também foi recusado.

A tarifa só pôde ser paga através de um bilhete comum de transporte público, mesmo indicando que atenderia a tecnologia NFC.

Procurada pela reportagem, a SPTrans afirma que uma equipe técnica acompanha todas as transações do projeto piloto para averiguar possíveis anomalias e efetuar a correção e aprimoramento do sistema, se necessários.

A prefeitura de São Paulo não registrou reclamações de passageiros por dificuldade em usar o NFC das catracas durante o projeto piloto. O Procon-SP também não registra nenhuma reclamação semelhante.

Segurança

No Brasil, as compras realizadas até R$ 50 através da nova tecnologia de pagamento não precisam de senha. As demais solicitam o código de quatro dígitos do seu cartão para autorização.

“Eu acho o pagamento por aproximação seguro, mas prefiro deixar o cartão de crédito para outras despesas e usar o bilhete único mesmo.  Se um dia esquecer ou não tiver crédito, posso até usar essa forma de pagamento”, afirma a cabelereira Gisele Conceição, 33 anos.

Já a estudante Vitória Giachetti de 19 anos, afirma que adotaria a nova modalidade de pagamento: “Hoje eu acabei esquecendo, mas usaria o meu cartão de crédito nas catracas sem nenhum problema. Eu até acho mais prático ter que usar apenas um cartão ao invés de ter vários na carteira”, explica Vitória.

Vale a Pena?

O pagamento por aproximação através da tecnologia NFC ainda é pouco usado em São Paulo,pois os usuários já estão acostumados a utilizar o bilhete único e não sentem muita necessidade de uma nova modalidade nos transportes públicos.

“Eu vi propagadas nos ônibus sobre essa foram de pagamento, mas eu sou estudante e para mim não vale a pena”, diz a universitária Heloísa Dantas, 20 anos.

Por um lado, existe a vantagem da praticidade e rapidez, onde você tem a possibilidade de concentrar todas suas contas em um único dispositivo, por exemplo. No entanto, os usuários perdem alguns benefícios como desconto no valor da segunda passagem se o usuário pega mais de uma condução, ou a integração entre ônibus e metrô, ou trem.

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*