Viver de renda é uma premissa que muitos educadores financeiros tentam passar para seus alunos. Quando seu dinheiro rende por meio de um investimento e você consegue manter-se ou ter um lucro significativo com seus rendimentos, você inverte a lógica: seu dinheiro passa a trabalhar para você e não o contrário.

Apesar das informações sobre os diferentes tipos de investimentos estarem em alta e em fácil acesso para a maioria da população, ainda é preciso pesquisar bem em que e onde você aplica seu dinheiro, de acordo com sua situação financeira e objetivo. Analisando algumas características de seu perfil, é possível saber, por exemplo, se é melhor para o seu caso investir em corretoras de valores ou nos produtos dos bancos tradicionais. 

Ambos lugares apresentam diversas vantagens e desvantagens, mas cada aspecto varia muito de acordo com a meta do investidor. Sendo assim, listamos aqui alguns pontos a serem considerados antes de você tomar sua decisão. Veja:

Corretoras de valores

As corretoras de valores são instituições financeiras que disponibilizam acesso aos investimentos e ações. Através delas é possível ter acesso a muitas aplicações financeiras, que geralmente vão além das que são oferecidas pelos bancos. Oferecerem investimentos como Ações, CDBs, LCIs, LCA, Tesouro Direto, Fundos de Investimento e entre outros.

Leia também
Bancos de Investimentos x Bancos Comuns: Veja Quais São as Diferenças
O Que São e Quais Operações Realizam os Bancos de Investimento
Qual é o Melhor Investimento a Curto Prazo
Aprenda a ver Se Um Investimento Realmente Compensa
O que é um Fundo Cambial? Entenda Tudo Sobre Esse Investimento

Não tem muito segredo para investir em uma corretora. Há uma grande disponibilidade de tipos de aplicações que são organizados segundo a categoria e indicação. Portanto, você pode escolher e investir no produto que lhe parecer mais próprio ao seu perfil e metas. 

Mas antes de escolher a melhor corretora de investimentos, é necessário estar muito atento a diversos fatores, que vão desde os ativos autorizados até mesmo aos valores cobrados. Especialmente porque para investir junto às corretoras, é necessário realizar transferências bancárias e se você paga um valor alto de taxa para realizar essa transação, pode ser que você saia no prejuízo.

Bancos

Concentrar a vida financeira nos amplos produtos que os bancos oferecerem, no mínimo, uma sensação de comodidade para o consumidor. Os bancos tentam suprir todas as demandas financeiras que seus clientes podem ter, para que o tempo de permanência do correntista seja maior. 

Por isso, muitas pessoas além de obterem a conta tradicional, ainda contratam serviços de seguro, empréstimos e por fim, de investimentos. Geralmente, os bancos oferecem aplicações próprias e títulos de capitalização, que eles embutem como um produto de investimento. 

A segurança que os bancos passam é um dos pontos a serem considerados, já que muitos possuem em suas aplicações de CDBs, LCIs e LCAs o Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garantem em até R$ 250.000 para casos de falência da instituição. Além disso, os bancos também possuem fundos de garantia próprios para qualquer tipo de imprevisto.  

Os prós e contras de cada um

Prós das corretoras de valores:

  • As corretoras de valores oferecem mais tipos de investimentos, já que não vendem apenas produtos próprios e sim disponibilizam até aplicações de terceiros, inclusive de outros bancos. 
  • Muitos especialistas dizem que rentabilidade em corretoras é maior, mas isso acontece porque a gama de investimentos é maior. Logo, existem diversas aplicações com diferentes tipos de rentabilidade.
  • Como as corretoras só trabalham com investimentos, então o atendimento é mais direto e personalizado, sem que tentem te oferecer outros serviços, como acontecem nos bancos. 

Contras das corretoras de valores:

  • Para investir nas corretoras, é necessário realizar mais um processo de abertura de conta. Então além de suas contas bancárias, terá também contas em corretoras.
  • A aplicação exige que uma transferência do dinheiro seja feita para sua conta da corretora. Logo, é necessário que você realize essa transação bancária que muitas vezes cobra taxas e tem um número limitado por mês.
  • Apesar de não ser um banco com gerentes e vendedores te oferecendo produtos a todo custo, ainda assim toda corretora tem metas a serem batidas. Então, a insistência dos funcionários em te fazer realizar a aplicação nos produtos da instituição é basicamente o mesma dos bancos.

Prós dos bancos:

  • Os bancos têm a vantagem de já terem muitos clientes, logo, basta oferecer um novo produto para seus correntistas. Ao disponibilizar os investimentos, fica muito mais prático aplicar, já que basta inserir o valor que você quiser do seu saldo em conta, para a plataforma de investimentos. Hoje em dia é possível realizar esse processo pelo aplicativo do banco. 
  • A tradição dos bancos passam uma sensação de segurança para seus clientes, já que não precisam ficar transferindo valores para outras contas para investir e também por já confiar seu dinheiro na instituição por muitos anos. 
  • Como os bancos vendem seus próprios produtos de investimento, então as taxas para aplicação são nulas ou mais baixas que as de corretoras. 

Contras dos bancos:

  • Os bancos oferecem poucas opções de investimentos em vista das corretoras, já que só oferecem produtos próprios. Logo, a rentabilidade alta de alguns títulos podem não estar presente nos bancos, por não ser um investimento específico deles.
  • Para conseguir vender, os bancos oferecem os títulos de capitalização em forma de investimento. Nesses títulos, você investe uma parte do seu dinheiro com a intenção de guardá-lo e tem a opção de participar de sorteios de prêmios. Mas os rendimentos destes títulos são menores que a poupança, inclusive.  
  • Um ponto que faz muitas pessoas investirem em corretoras é a questão do spread bancário. O spread bancário é a diferença entre os juros que os bancos pagam quando você investe seu dinheiro com eles, para os juros que você paga quando solicita algum empréstimo ou utiliza o cheque especial. Como os juros que os bancos cobram são muito maiores do que os que eles pagam, então muitos consumidores se sentem injustiçados em aplicar seu dinheiro lá. 

Para realizar essa decisão de forma assertiva, basta analisar seu perfil financeiro e suas metas ao aplicar esse dinheiro. Conte com as dicas do UNUM e faça a melhor escolha!

E aí, gostou de conhecer um pouco mais sobre investimentos? Então compartilhe esse conteúdo com seus amigos e familiares.