Não tem como negar. Quando ficamos apertados financeiramente, uma das formas mais fáceis de dar aquela aliviada é utilizando o famigerado cheque especial. Isso acontece por diversos motivos, mas os principais é porque é um dinheiro de fácil retirada, que já está lá, disponível na sua conta, com um valor pré-aprovado pelo seu banco para quando seu saldo acabar.

Porém, do mesmo jeito que essa é uma prática relativamente simples, ela também é muito perigosa, pois pode te levar rapidamente a um super endividamento, já que com o alto índice de juros que é cobrado para sua utilização, se você não estiver totalmente ciente, ela pode ser transformar em uma verdadeira bola de neve de dívidas.

Por isso, se você tem medo de precisar do cheque especial ou já caiu nessa armadilha, continue lendo para aprender de uma vez por todas como se livrar dessa dívida e não deixar que ela se transforme em uma “bola de neve” no seu orçamento.

Caí no cheque especial, e agora?

Usar o cheque especial não é um crime, mas também não é a melhor opção para sua vida financeira, afinal trata-se dos juros mais altos do mercado financeiro. E antes de mais nada, saiba que assim como você, 40% dos brasileiros utilizam esse serviço todos os anos.

Por isso, se você usou seu cheque especial e acumulou dívidas, a UNUM, preparou essa lista com algumas dicas que irão ajudá-lo a fugir dele e de suas consequências. Veja quais são as melhores opções existentes para que você consiga sair do vermelho.

1 – Converse Com Seu Gerente

A inadimplência não é desfavorável somente para quem deve. Assim como ela é prejudicial para a pessoa, o banco também sofre junto. Por isso, a primeira coisa que você deve fazer em caso de dívida com uma instituição financeira é conversar com seu gerente para tentar encontrar uma melhor forma de quitar a dívida, seja ela renegociar o pagamento integral ou reduzir as taxas de juros.

Para esse tipo de caso, veja qual a nossa dica: para se livrar mais rápido dos juros e da dívida, aproveite todo dinheiro extra que ganhar neste final de ano, como o 13º, FGTS e restituição do imposto de renda, para abater o saldo devedor. É só ligar para seu banco e solicitar um boleto que eles facilitam este pagamento.

2 – Cuidado Com o Débito Automático

Embora seja mais trabalhoso, pagar as contas manualmente pode ser a melhor opção para aqueles que tendem a se perder nas contas correntes, já que muitas vezes não acompanhamos a movimentação da nossa conta e corre-se o risco de ao ir fazendo compras no débito, descuidando de qual é o saldo disponível, e qual é o valor que está disponível com a soma do valor de seu cheque especial.

Além disso, um outro complicador neste exercício acontece quando ainda há os pagamentos em débito automático que também contribuem para essa falta de atenção ou até mesmo descontrole na gerência de sua conta-corrente.

Dessa forma, aumentam muito os riscos de você ficar sem dinheiro antes do planejado, e você pode acabar entrando no cheque especial. Assim, se você não tem o hábito de acompanhar seus gastos, sugerimos que pague as contas manualmente e esteja sempre entrando no aplicativo para saber o quanto que gastou e o valor que ainda tem disponível.

3 – Faça Uma Renda Extra

As pessoas que geralmente usam o cheque especial tem uma coisa em comum: ou são desorganizadas financeiramente, ou gastam mais do que ganham. Se você faz parte do segundo grupo e não consegue diminuir suas despesas, está na hora de investir em alguma coisa para ganhar um dinheiro a mais no orçamento.

Sabemos que a rotina do dia-a-dia é apertada para quem trabalha durante a semana, mas, e no fim de semana? Será que você consegue separar pelo menos um dia para ganhar uma renda extra?

Separamos para você 11 dicas para ganhar dinheiro no fim de semana. Vale a pena conferir, para evitar de pegar dinheiro com o banco no final do mês e, se possível, adiantar mais uma parcela da divida com o banco.

4 – Crie Uma Reserva Para Emergências

Essa dica talvez seja a mais importante dessa publicação. Muitas pessoas não tem o costume de entrar no cheque especial todos os meses, mas usaram o dinheiro disponível pelo banco porque tiveram uma emergência.

Coincidências como: o carro só estraga quando você está mais apertado? Ou, o gás da sua cozinha termina repentinamente? Para situações como essa, emergenciais, é sempre bom ter um dinheiro só para elas. Não precisa ser um valor muito grande, 10% ou 15% do seu salário já é o suficiente para começar a poupar.

Porém, o interessante mesmo seria se você conseguisse aplicar esse dinheiro em outro lugar, diferente da caderneta de poupança. O Tesouro Direto, por exemplo, pode ser uma boa alternativa pois o dinheiro rende um pouco mais e, em algumas aplicações, pode ser retirado rapidamente.

5 – Substitua sua dívida por outra, mas com juros menores

Você pode estar se perguntando se essa é uma boa ideia, mas vamos te explicar o porquê te sugerimos um empréstimo. Imagine que, na sua conversa com o gerente ele diminuiu os juros do cheque especial a 8%, valor máximo para o cheque especial a partir de janeiro de 2020.

Apesar de ser um avanço, saiba que você não deveria ficar satisfeito, porque até mesmo um empréstimo consignado possui juros menores, por exemplo, a 3% ao mês. Bem melhor, não é mesmo?

Então, você solicita um empréstimo do valor total da dívida que tem com o banco, paga o que deve de cheque especial e se compromete com o consignado, pagando taxas menores.

De todas essas sugestões, agora cabe a você fazer uma avaliação para ver o que é melhor para conseguir se livrar do cheque especial e ter o controle da sua vida financeira novamente. Preparado? O importante é ter foco, e não desistir, logo você estará livre de juros!

1 Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*