Com a facilidade em adquirir crédito – muitas vezes maior do que pode de fato pagar –  hoje muitos brasileiros estão endividados. Mas o motivo não é só esse, há também o desemprego, crise econômica que afetou o faturamento das empresas e até mesmo a desorganização pessoal. 

Todos esses fatores contribuem para o crescimento das dívidas e, na maioria das vezes, o inadimplente (aquele que não paga seus débitos) não consegue sair dessa situação sozinho.

Se você se identifica com essas situação e está procurando dicas para sair das dívidas o mais rapidamente possível, veio para o lugar certo.

Neste post vamos te dar algumas orientações para te ajudar a sair das dívidas. Confira abaixo.

Defina o Valor Das Dívidas

Antes de tentar se livrar dos seus débitos, a primeira medida que você deve tomar é de realizar um levantamento de todos os valores que deve, e quais são seus credores.

Dependendo da sua vida financeira, esse processo pode ser demorado e cansativo, mas não desista. E lembre-se de anotar também o valor das dívidas, as taxas de juros e os prazos de pagamento.

Com o total em mãos, ficará muito mais fácil definir o quanto você deve e o quanto precisa economizar para quitar seus débitos e regularizar suas finanças.

Como Renegociar Dívidas?

Agora que você já sabe exatamente a quantia que deve, o próximo passo deve ser a renegociação das suas dívidas. 

A melhor escolha é quando a mesma é feita diretamente com o credor, seja através do portal do Serasa, Feirão Limpa Nome ou diretamente na instituição. O mais importante é se certificar de que o local é um canal oficial do agente financeiro em que o crédito foi contratado, para evitar golpes.

Ao negociar, procure parcelas que caibam no seu orçamento e fique atento às taxas de juros. Vá com uma calculadora para estimar o preço que vai ser pago após a quitação da dívida e avalie se a proposta é vantajosa para você. 

Tome o tempo que precisar, não adianta ter pressa e fechar um mau negóci. Pode calcular com calma e se certificar com o avaliador se todas as suas dúvidas serão respondidas.

Como Sair das Dívidas do Cartão de Crédito

As dívidas do cartão de crédito são umas das mais caras do mercado, por isso, se você está em dúvida por onde começar, sugerimos que essas sejam sua prioridade.

Primeiramente, você deve parar de usar o cartão de crédito até que sua situação se equilibre. Depois, é sugerido que tente negociar com a operadora do cartão uma alternativa que caiba no seu bolso, e seja aceitável para ela.

Em muitos casos, a operadora costuma facilitar o pagamento, seja com parcelas mais flexíveis ou com a redução da taxa de juros. Mas, antes de aceitar a proposta, defina qual a porcentagem do seu salário você pode separar para cumprir o acordo mensal. 

15%? 20%? O valor você escolhe, de acordo com seus gastos e com suas necessidades.

Também é possível fazer simulações de crédito em diferentes agentes financeiros para identificar se existem propostas mais adequadas à sua realidade financeira. Às vezes, você pode encontrar ofertas com juros menores e melhores condições de pagamento.

Como Sair Das Dívidas de Banco

Atualmente, alguns bancos realizam essa negociação online, mas, se você é um bom comunicador e gosta de fechar acordos “olho no olho”, a melhor opção é ir até sua agência e pedir para falar com o gerente.

Ao confirmar que deseja negociar sua dívida, seja flexível, simule prazos menores (desde que os juros diminuem) e faça propostas com um valor considerável de entrada (mesmo que você não tenha ele em mãos), ou até mesmo desconto no valor total.

Se após as simulações você observar que o valor final altera muito e essa pode ser uma boa opção, às vezes vale a pena contratar um empréstimo para quitar sua dívida e focar só nas parcelas do mesmo. Se essa for sua opção, se certifique de que as taxas de juros cobradas serão menores do que as do banco.

Como Sair das Dívidas da Minha Empresa

Está com dívidas no CNPJ? Saiba que não é o único. Uma pesquisa recente, feita pela Serasa Experian, mostrou que aproximadamente 5,4 milhões de empresas brasileiras estão inadimplentes.

Se sua empresa possui dívidas em aberto, do mesmo modo que funciona para pessoas físicas, a renegociação da dívida diretamente com o credor pode ser uma boa alternativa. 

Lembre-se de que, assim como você, ele está interessado no pagamento desse débito e vai tentar facilitar nas ofertas. Negociando, é possível chegar a condições de pagamento mais viáveis para os dois e reduzir a taxa de juros.

Se não se interessar por esses acordos com o credor, também é possível solicitar empréstimos com taxas de juros menores, com garantia de imóvel ou veículo, por exemplo.

Dessa forma, é possível trocar as suas dívidas caras por uma mais barata, com um prazo maior, que te ajuda a planejar melhor o pagamento das parcelas.

Como Sair da Dívida do FIES?

Quando o estudante deixa de pagar a dívida do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), ele pode ficar com o nome negativado e com o cadastro no Cadastro Informativo de Créditos Não Quitados do Setor Público Federal (CADIN). 

Essas inscrições impedem o mesmo de ter acesso ao crédito, compras a prazo, abrir contas bancárias e, dependendo do valor devido, até mesmo a apreensão de bens e bloqueio da restituição do Imposto de Renda.

Por causa disso, é importante negociar suas dívidas o mais rápido possível. Veja as duas possibilidades:

  • Ir diretamente à instituição de ensino e solicitar um novo parcelamento com o saldo devedor dividido em 48 parcelas mensais;
  • Incluir os valores em atraso nas parcelas a vencer.

Nos dois casos, é preciso oferecer um valor de entrada, que pode ser correspondente a 10% do valor consolidado da dívida vencida, ou o valor de R$ 1.000 reais, o que for maior. 

Como Sair do Cheque Especial

Sabe aquele crédito pré-aprovado que fica disponível na sua conta bancária após o saldo acabar? Pois é, a utilização dessa quantia, pode fazer você se arrepender. 

Isso porque as taxas de juros do cheque especial, na maioria das vezes, chegam a mais de 300% ao ano, segundo o Banco Central. E se você não quitar seus débitos logo, esse valor só vai aumentar.

Para sair da dívida do cheque especial, é recomendado conversar com o seu gerente e tentar negociar a melhor forma de pagamento. Não obstante, se o acordo não for agradável, vale a pena tentar um empréstimo com garantia ou consignado, que possuem taxas de juros menores e vão poder cobrir esse montante do cheque especial para você.

E as Dívidas Ativas? Como Quitar?

As dívidas ativas são aquelas que são ligadas ao órgão público e que podem te prejudicar frente ao governo municipal, estadual ou federal. Deixar de pagar contas como IPTU, IPVA, multas de trânsito e, até mesmo, multas ambientais pode acarretar em problemas maiores do que você imagina. 

Mas, fique tranquilo, regularizar sua situação de dívidas ativas é mais simples do que você imagina, pois o processo pode ser feito 100% online

Isso mesmo! Basta acessar os sites do Governo que você deve. Lá é possível emitir uma guia de pagamento da dívida à vista (com maior desconto) ou recorrer ao parcelamento da mesma. Tudo rápido e sem burocracia.

Posso Usar Meu FGTS Para Pagar Dívidas?

Depende. O saque do FGTS é permitido em alguns casos específicos, como demissão sem justa causa, término do contrato de trabalho por prazo determinado, aposentadoria ou para a compra de um imóvel. Também é possível realizar o resgate antecipado em casos de doenças graves ou desastres naturais. 

Ainda existem o saque aniversário – onde todo o trabalhador com conta vinculada de FGTS tem direito à modalidade, desde que faça a opção nos canais oferecidos pelo banco – e o saque imediato – medida adotada pelo governo onde todos os trabalhadores que possuem contas ativas e inativas no FGTS tem direito a sacar uma quantia imediata (dependendo do valor que consta no fundo).

Enfim, se você se encaixa em algumas das condições acima, use o FGTS para quitar dívidas. Essa prática é, inclusive, recomendada por especialistas.

Não obstante, a fórmula mágica para sair das dívidas depende mais do inadimplente do que das orientações. Isso porque o processo é muito pessoal, e em todas as situações você precisa analisar qual a melhor estratégia para sair da sua atual condição financeira.

Por isso, recomendamos que se inteire mais do assunto em nossos outros posts, faça simulações e traga tudo para sua realidade. Só assim tomará uma decisão assertiva para você.

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*