Atenção quem está preocupado com a epidemia do novo coronavírus e busca alternativas para se adquirir alimentos, produtos de higiene pessoal, de limpeza, dentre outros. Alguns supermercados pelo país já oferecem a possibilidade de pedido online, seja pelo site ou por aplicativos, e entrega em domicílio, no mesmo dia ou no dia posterior ao pedido.

A modalidade, que vem crescendo no país, é uma alternativa viável para quem não quer se arriscar, enfrentando supermercados cheios e com maior possibilidade de contágio da doença. Segundo a Associação Paulista de Supermercados (APAS), em pesquisa nacional referente ao setor, 15% dos brasileiros já fazem compras pela Internet e a tendência é de crescimento nestes tempos de reclusão.

Através do Painel Conecta do Ibope Inteligência, os estudos constataram que a classe que mais compra desta forma é a A (19%) e a que menos compra é a B1 (11%). Jovens de 16 a 24 anos são a faixa etária mais assídua neste canal (18%) e as pessoas com mais de 55 anos, a menos (10%). A região que mais utiliza esse método de compra é a Sudeste (16%) e a que menos utiliza é a Centro-Oeste (10%).

Considerando estes números e com o objetivo de ampliar ainda mais esse tipo de público consumidor, grandes redes supermercadistas investem em vendas online, tanto pelo site, como por aplicativos, com promoções que busquem atrair a atenção do consumidor. O Carrefour e o Grupo Pão de Açúcar, por exemplo, já adotam o delivery, ofertando mais uma opção prática para seus clientes.

Grandes plataformas também são aliadas

Embora ainda represente pouco no quesito venda de supermercados, aplicativos como o iFood, Uber Eats e Rappi registram aumento no número de consumidores que utilizam a plataforma para realizar compras online.

O iFood, por exemplo, destaca dados importantes, de evolução neste nicho nos últimos meses. “Registramos crescimento de 100% a cada mês”, diz Diego Barreto, vice-presidente financeiro do iFood, que começou a oferecer entrega de supermercados parceiros no começo do ano passado.

A empresa opera com 400 supermercados em 80 cidades e quer chegar a mil lojas em 200 cidades em meados do ano. Já no Rappi, a compra de supermercado é a linha que mais cresce na empresa, depois de refeições, que se propõe a entregar qualquer tipo de produto.

Entre os varejistas, um dos pontos que impulsionam o interesse pela venda por meio dos apps de entrega é a atração de novos consumidores. No Carrefour, que há dois anos tem parceria nacional com a Rappi, 63% dos clientes do canal e-commerce food não faziam compras na rede, diz Paula Cardoso, CEO do Carrefour e-Business.

Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo, diz que a parceria dos aplicativos e supermercados é um caminho sem volta, pois o smartphone mudou o hábito de compra e as empresas travam uma corrida para estarem mais bem posicionadas do que as rivais nesse novo mercado. Terra e outros especialistas destacam a oportunidade, mas alertam para o risco estratégico importante: ao fechar parceria com companhias de delivery, o supermercado pode entregar informações do consumidor para empresas de fora. “A questão é de quem é o cliente”.

Supermercados também aderem ao digital

Não são apenas as grandes redes varejistas que atuam no segmento de delivery junto ao consumidor. Empresas locais do ramo também prestam este tipo de serviço, aumentando a gama de escolhas do cliente.

Em Belo Horizonte, por exemplo, uma das redes mais tradicionais da capital mineira, o Super Nosso possui o serviço. O pedido pode ser feito pelo site ou aplicativo da marca. Com 17 lojas em BH, a empresa iniciou a operação do Super Nosso em Casa com um formato de delivery a custo fixo (R$24,90), com entrega para o dia seguinte do pedido. Atualmente é o mercado online de BH com o maior sortimento de produtos no site, o que o posiciona como um dos mais procurados do setor.

Já em São Paulo, o Pão de Açúcar é um dos que mais se destacam, pela grande variedade de produtos e de marcas. Nessa linha, a empresa ainda oferece produtos dietéticos, sem glúten e sem lactose. Por lá, é possível pagar inclusive com cartão de vale alimentação das principais bandeiras.

No Rio de Janeiro, o supermercado de destaque, o Zona Sul, permite a flexibilidade na entrega, podendo o cliente escolher no mesmo dia ou agendada, inclusive com horário marcado. O site aceita pagamento via cartão de crédito, vale-alimentação (Sodexo, Visa Vale, Ticket, GreenCard), cheque (sujeito aprovação) e dinheiro. Outro ponto interessante do Zona Sul é a entrega que se estende a cidades mais distantes do Rio, como nos municípios da Costa Verde e Região dos Lagos e a região Serrana de Petrópolis e Teresópolis.

Por fim, em Porto Alegre indicamos o Magodrive, que apresenta o maior sortimento de produtos e marcas disponíveis para comprar pelo site. O ponto negativo da loja é que o atendimento ocorre em alguns bairros da zona Norte da cidade, onde o ponto físico está localizado.

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*