Os efeitos da crise, provocados pelo Novo coronavírus sobre a economia, pesaram sobre o Ibovespa nos últimos dois meses e distorceram os preços e projeções de curto prazo, dois anos, um pouco acima da média de dez anos. O mesmo acontece para o longo prazo.

Segundo especialistas, este é, contudo, um bom momento para se aproveitar as oportunidades. “Reconhecemos que oportunidades de curto prazo continuarão surgindo e acreditamos que a parcela tática de uma carteira de investimentos bem equilibrada possa capturar esses movimentos”, explica o estrategista do banco Santander Renato Chanes em um relatório enviado a clientes da instituição financeira.

Para o estrategista, há assimetria de riscos atraente em determinados setores, embora a volatilidade deva continuar elevada. “Aproveitamos para reiterar a nosso preço-alvo de 91 mil pontos para o Ibovespa ao final de 2020 como nosso cenário base (em um ambiente mais positivo, poderíamos ver o índice aos 105 mil pontos no final do ano)”, destaca Chanes.

O especialista aponta quatro motivos para se esperar tal melhora. O Unum te mostra, na sequência. Além disso, oferecemos dicas de dez empresas para se adquirir ações, neste mês de junho. Acompanhe conosco!

Quatro motivos para se esperar uma melhora na economia nacional

1. A alocação em ações brasileiras parece ser menor

Para o Santander, as ações de empresas brasileiras eram muito mais frequentes nos portfólios da indústria local de fundos multimercados até fevereiro, cerca de 10%. “A situação era a mesma para os fundos globais ativos em mercados emergentes (há 6 meses, o Brasil representava 8,5% da alocação desses investidores, contra 5,5% atualmente)”, detalha Renato Chanes.

2. A contração da atividade econômica já parece refletida nos preços

“Os agentes do mercado já esperam um recuo do PIB superior a 5% em 2020, em comparação com uma expansão de 2,3% esperada em dezembro de 2019. Isso ainda é menos negativo que os 6,4% projetados pela equipe econômica do Santander, mas não tão diferente”, compara o especialista do banco espanhol.

3. O real está melhorando gradativamente

A saída de dólares do Brasil desacelerou de US$ 6,56 bilhões em março para US$ 1,38 bilhão em abril e inverteram para o positivo nas primeiras semanas de maio. A balança comercial também está começando a entrar em ação, juntamente com a sazonalidade da colheita da safra agrícola, explica o economista do Santander. “Além disso, o Banco Central tem sido mais ativo em intervenções cambiais e sinalizou que a próxima reunião poderá ser a última em termos de flexibilização monetária (nossa equipe econômica estima Selic em 2,25% no fim do ano de 2020)”, projeta o estrategista da instituição financeira.

4. Arrefecimento no ambiente Político

“A relação entre o Presidente, Governadores, o Senado e o líder da Câmara dos Deputados se tornou mais positiva recentemente, com promessas de apoio mútuo para enfrentar a crise atual. Esse tema, no entanto, continuará trazendo volatilidade aos mercados e deve ser monitorado”, alerta Renato Chanes.

Levando-se estes fatores em conta, a gente te aponta, a seguir, dez ações de empresas, que estarão favoráveis para investimentos neste mês. Acompanhe.

Veja dez ações indicadas para este mês*

Ambev

  • ABEV3
  • 8%
  • 17,00

Banco do Brasil

  • BBAS3
  • 10%
  • 55,00

Bradesco

  • BBDC4
  • 16%
  • 35,00

Carrefour

  • CRFB3
  • 10%
  • 25,00

CPFL Energia

  • CPFE3
  • 10%
  • 43,36

JBS

  • JBSS3
  • 10%
  • 43,00

Lojas Renner

  • LREN3
  • 6%
  • 62,00

Multiplan

  • MULT3
  • 8%
  • 39,00

Petrobras

  • PETR3
  • 10%
  • 24,00

Vale

  • VALE3
  • 12%

* Legenda

Empresa
Código
Alocação
Preço-Alvo (R$)

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*