O brasileiro anda cada dia mais endividado e na hora do aperto é normal acabarmos por recorrer a empréstimos, mas sabemos que na maioria das vezes eles costumam dobrar ou quase, até que terminamos de pagá-los. Só de pensar dá um desespero não é verdade?! Tanto que se a situação melhora a gente quer logo se livrar deles.

Mas ao tomar essa decisão pode pairar uma dúvida sobre a nossa cabeça: “será que quitar o empréstimo pessoal antecipado vale a pena”? Para responder essa pergunta preparamos este artigo, que vai te explicar se isso pode ser vantajoso ou não e porquê. Venha conosco entender.

Como descobrir o saldo devedor

O primeiro passo para quitar seu empréstimo pessoal antecipadamente é descobrir o saldo devedor. Mas você sabe o que é saldo devedor? No caso do empréstimo ele é o valor restante a ser pago para a quitação. Para descobrir o valor do saldo devedor atualizado do empréstimo para a quitação, é preciso ir até a instituição financeira onde o obteve e solicitá-lo, ou no caso de ter adquirido um empréstimo pessoal online, você deve entrar em contato com a empresa que fez a liberação do mesmo e também fazer a solicitação.

A instituição financeira então irá emitir um boleto com a soma das parcelas que ainda não foram quitadas. Além disso deverá vir discriminado no mesmo, o desconto dos juros, que seriam cobrados de forma integral caso o pagamento das parcelas houvesse ocorrido normalmente.

É importante ficar atento às cobranças e conferir no contrato, recibos, extratos e comprovantes que você possui, se o valor está condizente com o que deveria ser. Caso você não mais possua todos esses documentos também é possível solicitá-los junto ao banco.

É possível fazer a quitação antecipada?

A resposta para essa pergunta é sim. Mesmo que algumas instituições possam querer recusar o seu direito, o que infelizmente é muito comum. Fique atento, o Código de Defesa do Consumidor garante o direito não só da quitação antecipada, mas do desconto proporcional de juros e encargos financeiros, mesmo que ela seja total ou parcial, no caso de empréstimos e financiamentos.

É importante destacar que o desconto é somente sobre o que ainda resta para pagar e não sobre o que já foi pago. Além disso é direito do adquirente a qualquer momento solicitar a quitação antecipada do empréstimo sem acréscimo de taxas ou multas. É o que diz a Resolução 3.516/2007 do Banco

Central que: “veda a cobrança de tarifa em decorrência de liquidação antecipada de contratos de concessão de crédito”.  Por isso, você não só pode fazer a quitação antecipada do empréstimo, como tem direito de fazê-la sem nenhum acréscimo de tarifa. É que anteriormente à resolução do BACEN os bancos costumavam adicionar aos seus contratos uma taxa chamada “taxa de liquidação antecipada”. Dessa forma você até poderia fazer a quitação antecipada do empréstimo e obter algum desconto, mas pagaria essa taxa de modo a compensar o banco pela operação de crédito realizada por ele.

Como é calculado

Quando resolvemos quitar antecipadamente um empréstimo, devemos ter a consciência de que estamos quebrando o contrato, já que quando o assinamos nos propomos a pagar parcelas pré-determinadas em um prazo específico também pré-estabelecido.

Por isso, a fim de assegurar o direito do consumidor e não prejudicar o banco foi criado um meio termo, que garante o desconto do consumidor, porém não o desconto total da taxa. Para que a taxa de desconto seja calculada de forma justa e correta, foi criada a seguinte fórmula:

Taxa contratada – Taxa Média Selic (TMS) na data da contratação + Taxa Média Selic na data da liquidação = taxa de desconto.

Para que possamos ilustrar melhor a situação vamos te dar 2 situações hipotéticas desse cálculo:

1. Vamos supor que você tenha tomado um empréstimo a uma taxa de 40% a.a. e que a TMS na data da contratação seja de 9% e a TMS na data da liquidação seja de 6%.
40 – 9 + 6 = 37% a.a será a taxa de desconto dos juros que será utilizada para fins de cálculo.

2. Agora vamos inverter e supor que você tenha tomado um empréstimo a uma taxa de 40% a.a. e que a TMS na data da contratação seja de 6% e a TMS na data da liquidação seja de 9%.
40 – 6 +9 = 43% a.a será a taxa de desconto dos juros.

Vale a pena?

Bem, digamos que a resposta para essa pergunta é muito relativa e para respondê-la devemos analisar alguns pontos como:

Qual a sua situação no momento da quitação antecipada?

É claro que não adianta nada quitar uma dívida para passar apuros financeiros e por ventura acabar até mesmo adquirindo outra dívida. Para que possa valer a pena a quitação antecipada, é preciso que ela seja feita em um momento oportuno não inoportuno.

Como por exemplo no caso de você ter recebido o FGTS e estar em um momento relativamente estável. Ou caso queira utilizar o valor obtido em uma rescisão para liquidá-lo, claro que se você não estiver sem nenhuma fonte de renda. Ou até mesmo no caso de querer utilizar o valor do seu PIS ou 13° para quitar antecipadamente, caso faltem poucas parcelas e/ou o valor seja menor.

A Taxa Média da Selic no momento da quitação antecipada

Entenda, não é que não vá valer a pena fazer a quitação antecipada do empréstimo à qualquer momento, mas é que vão existir momentos melhores. E um deles com toda certeza é quando a taxa SELIC está em alta, isso porque assim como pudemos observar nos cálculos hipotéticos o desconto será maior.

Porém vale ressaltar mais uma vez que você faça isso em um momento realmente oportuno, já que se você precisar adquirir um outro empréstimo nesse momento, os juros consequentemente serão mais elevados.

Dica:

Caso você tenha interesse de fazer uma simulação de quitação antecipada do empréstimo, pode utilizar a calculadora de antecipação de prestações do Ministério Público de Santa Catarina.
Ela foi criada a fim de facilitar a vida do consumidor e para utilizá-la, você deve informar: o valor da parcela, a taxa de juros, o dia do vencimento, a data de quitação e a quantidade de parcelas a quitar.

Desse modo dá pra ter uma noção melhor do desconto. Aí então se achar vantajoso fazer a quitação antecipada naquele momento é só entrar em contato com a instituição e solicitar o boleto. É importante destacar que o resultado do cálculo feito pela ferramenta é apenas informativo, por isso você não deve descartar outras alternativas de cálculo.

Se você gostou desse conteúdo compartilhe com seus amigos!

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*