Os bancos brasileiros, enfim, chegaram um consenso sobre a tecnologia NFC (Near Field Communication) ou Contactless. A partir de agora, haverá um valor único para pagamentos com cartão por aproximação sem a exigência de senha.

Em uma reunião que realizada na última quarta-feira (27), capitaneada pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), e que contou com as principais lideranças do setor, ficaram estabelecidas as principais regras da modalidade, mas, entretanto, não foi estabelecido um valor padrão, só que ele será aumentado.

“Pela primeira vez todos os players do setor de cartões concordaram que devemos ter um novo valor único padronizado pela indústria. O mesmo novo valor deve ser aceito por todos os (bancos) emissores”, diz uma fonte que participou do encontro.

Abecs lidera encontro entre os representantes

Nesse modelo de transação, o aparelho receptor não armazena as informações confidenciais do cartão, como a senha. Logo, a operação torna-se muito mais segura nesse aspecto. A tecnologia de aproximação também dificulta a interferência ou interrupção do sinal. Isso representa maior proteção e qualidade para efetuar compras.

Hoje, o cliente pode pagar contas de até R$ 50 com seu cartão sem precisar usar a senha. O certo é que esse valor será ampliado ao menos para o dobro. Porém, para quanto, ainda é o entrave. Alguns defendem até 10x o atual limite. Outros, aumento para R$ 200.

Coronavírus ‘ajudou’ na decisão

A pauta é fruto de um antigo debate e ganhou força em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), já que as medidas de segurança para evitar o contágio pelo patógeno passam pelo uso da tecnologia contactless.

Porém, é consenso que a ampliação do limite pode ajudar a deslanchar o mercado. O setor representou menos de 1% de todo o volume do segmento no primeiro trimestre deste ano. No total, entre janeiro e março, foram R$ 475,7 bilhões, cifra 14,1% maior que a vista um ano antes.

A pandemia já teria impactado o segmento em, ao menos, cerca de R$ 20 bilhões que deixaram de ser transacionados por cartões no período.

Aumento de fraudes também é preocupação

O risco de fraudes diante do aumento do valor máximo para pagamentos com cartão contacless não preocupa o setor. Isso porque os bancos emissores podem colocar travas adicionais para evitar que o pagamento por aproximação seja trampolim para transações fraudulentas.

“Temos indicadores das bandeiras de cartões que comprovam que o risco de fraudes é bem baixo”, disse o diretor da Abecs, Ricardo Vieira, em conversa com jornalistas, mais cedo.

4 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*

    • Oi José Francisco, tudo joia?
      Nós da UNUM não somos a empresa de cartão de crédito, que aprova e envia cartões. Apenas trazemos conteúdos financeiros úteis e aconselhamos sobre qual é o melhor cartão para você.
      Então vamos te ajudar a escolher a melhor opção.
      Entre em nosso portal de notícias e responda ao Quiz para saber qual é o cartão ideal para você.
      Acesse: https://unum.com.br/quiz/ac/quiz-google/
      E confira também outras informações e dicas sobre cartões de crédito.
      Veja aqui: https://unum.com.br/cartao-de-credito/
      Boa sorte!

  • Eu não sabia que era possível pagar sem digitar a senha, tomei um susto quando a moça do caixa do supermercado me entregou os recibos. Cheguei em casa e fui pesquisar como desabilitar aquela função, porque acho que é um risco muito grande. Penso que o cliente deveria ter a alternativa de ele mesmo escolher o valor que quer liberar para pagamento sem senha, dentro desse limite aí que vocês disseram que está sendo discutido. Obrigada por falarem sobre isso, porque vou ficar de olho!