O PIX, novo sistema de transações instantâneas do Banco Central, só chega na próxima semana, no dia 16 de novembro, ao mercado. Porém, de acordo com o BC, a plataforma obteve sucesso em seu teste realizado durante as últimas 24 horas.

Segundo a autarquia, entre terça-feira (10) e quarta-feira (11), em seu primeiro dia inteiro de testes, foram registradas mais de 57 mil transações, com amplo sucesso.

Para o diretor do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello, que comanda do setor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução, o desempenho do Pix foi um “sucesso estrondoso”, disse à Exame.

O que é o PIX?

Em síntese, o PIX é um sistema de pagamentos e transferências instantâneo, ou seja, as movimentações acontecem em tempo real. Sua grande diferença está na agilidade da transação. Enquanto existem datas e horários específicos para fazer TED e DOC, o PIX permite que as operações sejam feitas 24h por dia, nos sete dias da semana. Isso mesmo, até mesmo no sábado, domingo e feriados você poderá pagar sua conta, amigo ou familiar.

Como funciona hoje para transferir dinheiro?

Antes de explicar o PIX a fundo, vamos lhe explicar as atuais operações em vigência. São elas:

TED (Transferência Eletrônica Disponível): o dinheiro transferido à outra instituição será creditado na conta de destino até às 17 horas daquele mesmo dia, sendo a média é de 30 minutos para que a operação ocorra; vale lembrar que não existe valor mínimo a ser transferido e valores superiores a R$ 5 mil podem ser enviados.

DOC (Documento de Ordem de Crédito): o dinheiro cai na conta de destino no dia seguinte, mas pode levar mais de um dia útil caso a transferência seja feita após às 22h; o valor máximo que pode ser transferido é de R$ 4.999,99.

Tanto TED quanto DOC funcionam somente em dias úteis. Transferências feitas em finais de semana ou feriados nacionais são completadas somente no dia útil seguinte.

Como funcionará o PIX?

Ainda faltam alguns detalhes para o Banco Central bater o martelo. De certo, o órgão já regulamentou que as transações do PIX poderão ser feitas tanto pelo número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ, nas chamadas chaves de segurança, quanto também através da leitura de QR Codes estáticos e dinâmicos.

O BC permitirá as seguintes operações nessa nova ferramenta:

  • Entre pessoas;
  • Entre pessoas e estabelecimentos comerciais;
  • Entre estabelecimentos;
  • Para entes governamentais, no caso de impostos e taxas.

Para usar o PIX, será necessário que tanto o pagador (quem envia o dinheiro) quanto o recebedor (quem receberá os valores) tenham uma conta em banco, instituição de pagamento ou fintech. Não necessariamente essa conta precisa ser corrente.

Após isso, você irá acessar o aplicativo do seu banco e fazer o registro da chave de endereçamento usando seu número de celular, e-mail ou CPF/CNPJ. Assim, os dados da sua conta, agência e banco estarão vinculados à sua chave e você não precisará passar os seus dados bancários para quem for te pagar.

E se quiser ter ainda mais privacidade, basta cadastrar uma chave de EVP (Endereço Virtual de Pagamento). Ela te permitirá não passar seus dados pessoais na hora de fazer uma compra ou transferência para pessoas que não sejam de sua confiança.

O que são as chaves do PIX?

As chaves do PIX determinarão qual será a conta que receberá a transferência. Ou seja, é como se você registrasse uma informação como chave e só precisa passar esse dado na hora de receber um pagamento.

Por exemplo, se eu, Wallace Graciano, registrasse meu nome e-mail para receber pelo PIX, na hora de receber um depósito, não precisaria passar o número da conta, da agência, do CPF e o código do banco para quem for depositar. Basta passar meu e-mail pessoal e o valor irá direto para minha conta.

Ou seja, meu e-mail estaria diretamente vinculado à minha conta. Simples, não?

É obrigatório ter chave do PIX?

Não. Registrar uma chave não é obrigatório. Você pode, se preferir, continuar usando os dados bancários da sua conta. Porém, esse foi um método encontrado para simplificar o processo. Afinal, quantas vezes você já se perdeu passando todos aqueles dados para receber uma transferência?

Quais tipos de chaves do PIX poderei registrar?

Será possível registrar quatro tipos de chaves Pix:

  • CPF ou CNPJ;
  • Número de telefone celular;
  • E-mail;
  • Ou a chamada “chave aleatória”, que nada mais é do que uma sequência gerada pelo próprio sistema do PIX. Assim, você não precisará passar qualquer um dos dados acima, caso queira manter sua sua privacidade.
    Quantas chaves do PIX poderei ter?

Pessoas físicas poderão registrar até cinco chaves por conta. Pessoas jurídicas, por sua vez, poderão registrar até vinte chaves, também por conta.

Como registrar as chaves do PIX?

É bem simples:

  1. No app do seu banco, vá até a área “Pix”;
  2. Vá na opção “Minhas Chaves” e em “Registrar chave”;
  3. Escolha as chaves que você deseja registrar: CPF, número de telefone, e-mail ou chave aleatória;

Pronto! O banco enviará sua chave para o Banco Central.

Por que minhas chaves estão como “Pendentes”?

O status de chaves ficará como “Pendente” até o Banco Central confirmar as informações.

É possível transferir a chave do PIX de um banco e passar para outro?

Sim. Esse movimento é chamado de portabilidade de chave do PIX.

Como posso fazer a portabilidade de chaves do PIX?

Segundo o Banco Central, a instituição vem aconselhando que bancos e apps facilitem essa possibilidade aos usuários através do próprio app.

Quanto tempo demora para ter a portabilidade de chaves do PIX?

Após ser feito o pedido de portabilidade, a instituição que detém as chaves tem dez segundos para liberá-las para outro destino.

Como ocorrerão as transações com PIX via QR Code?

Bastará ao usuário ou estabelecimento que receberá o valor apresentar um QR Code que poderá ser lido por qualquer tipo de smartphone.

Cada tipo de QR Code terá um uso diferente:

  • O QR Code estático poderá ser usado em múltiplas transações e permitirá que seja definido um valor para um produto ou de um valor pelo pagador. Ele poderá ser usado para transferências entre duas pessoas, por exemplo.
  • O QR Code dinâmico é mais adequado para pagamento de compras, já que poderá apresentar informações diferentes a cada transação e permitirá que sejam incluídas informações adicionais sobre a transação.

Quando será lançado o PIX?

O Banco Central estipulou a data de 16 de novembro como o dia em que o PIX será lançado no mercado. Até lá, você saberá de todas as novidades anunciadas em nosso site!

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*