Quando começamos a investir, nos deparamos com várias siglas que não sabemos o significado. O mercado de investimentos é bem amplo e devemos nos informar para sabermos qual o melhor investimento de acordo com nosso perfil de investidor.

E, por isso, é relevante saber o significado das siglas. São elas que vão nortear nossos investimentos. Ter sapiência fará com que nós saibamos fazer as melhores escolhas de acordo com nossos objetivos e valor investido.  Fique conosco e conheça melhor cada uma delas.

Desmistificando

Relataremos a seguir algumas das principais siglas do mundo de investimentos.

CDB – Certificado de Depósito Bancário: 

São títulos emitidos pelos bancos e vendidos ao investidor como forma de captação de recursos. Dessa forma, o banco remunera o investidor com juros, que variam de acordo com o valor investido. Como o CDB é do banco, então você vai encontrar diferentes tipos e rentabilidade, pois, cada banco tem o seu CDB. É um investimento de renda fixa

CDI – Certificado de Depósito Interbancário: 

São títulos emitidos pelos bancos como forma de captação ou aplicação de recursos excedentes. São aplicações com prazos de um dia útil, com objetivo de melhorar a liquidez da instituição financeira.  A taxa média do CDI de um dia é utilizada como referencial para o custo do dinheiro (juros). Por esse motivo, ela também é utilizada para avaliar a rentabilidade das aplicações em fundos de investimentos.As características de um CDI são semelhantes as de um CDB, porém os CDIs somente são negociados no mercado interbancário, transferindo recursos de uma instituição financeira para outra. Quando um banco tem necessidade de tomar dinheiro emprestado de outro banco, ele pode emitir um CDI e captar este dinheiro no mercado interbancário.

Selic – Sistema Especial de Liquidação e Custódia: 

É a taxa básica de juros da economia no Brasil, ela é definida pelo Banco Central e é utilizada para controlar a inflação no país. A Selic é a referência para todas as outras taxas de juros da economia.

Tesouro direto: 

É um programa em que o Governo Federal emite Títulos Públicos para vender. Essa modalidade permite pagar e financiar a saúde, educação e infraestrutura. Na teoria, você empresta dinheiro para o Governo Federal escolhendo qual Título vai comprar. Depois, recebe uma remuneração que dependerá do tipo e prazo escolhidos.

FGC – Fundo Garantidor de Créditos:

É uma entidade que administra uma proteção aos correntistas e investidores, que permite recuperar até 250 mil em depósitos ou créditos em instituições financeiras em caso de falência, intervenção ou liquidação. Seu objetivo é manter a confiança dos investidores no mercado para que eles possam aplicar sem medo de perder seu capital.

LC – Letra de Câmbio:

É um tipo de título de crédito feito por escrito que vincula uma ordem de pagamento de uma pessoa para outra. Os bancos e corretoras de valores concedem crédito a seus clientes captando recursos. Por isso, as Letras de Câmbio são uma opção de investimento com uma rentabilidade integrada. Quanto mais tempo aplicado, mais rentável.

LCA – Letra de Crédito do Agronegócio: 

São investimentos em renda fixa. É quando o Banco pega seu dinheiro emprestado para emprestar para negócios do setor agropecuário.

LCI – Letra de Crédito Imobiliário:

São investimentos em renda fixa. Você compra essa Letra de Crédito do Banco e ele pega seu dinheiro para emprestar para negócios do setor imobiliário.

FIA – Fundos de Investimentos em Ações:

O nome já diz, é um fundo de investimento que investe em cotas de fundos de ações (renda variável, bolsa de valores).

FIM – Fundos de Investimentos Multimercado: 

Os multimercados investem em diversas classes de ativos (renda fixa, renda variável, câmbio, etc) e usa diversas estratégias para atingir a rentabilidade esperada dependendo do multimercado escolhido.

FDI – Fundos de Renda Fixa Referenciados DI:

São fundos que aplicam no mínimo 95% do patrimônio nos Títulos Públicos Federais ou em Títulos Privados de baixo risco. Os Fundos DI acompanham o CDI. Os rendimentos são variáveis.

FRF – Fundos de Renda Fixa: 

São Fundos que o investidor já sabe qual será o retorno financeiro no ato da aplicação. Os rendimentos são fixos.

Com esse compilado de siglas, você tem uma base para escolher seus investimentos. Antes de qualquer investimento financeiro é suma importância estudar onde você vai colocar seu dinheiro, para ter boa rentabilidade, segurança e sucesso.

1 Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*