Algumas pessoas possuem um ou mais de um cartão, já que é um instrumento útil no dia a dia, além de garantir segurança e praticidade. E, como os gastos não são sentidos imediatamente, muitas se atrapalham com o uso e acabam endividadas.

Mesmo assim, o cartão pode ser um importante aliado nas finanças se utilizado de maneira sadia. E se você não tem ideia de como fazer isso, está no lugar certo. Atire a primeira pedra quem nunca se enrolou com a fatura do cartão de crédito.

Embora seja um instrumento facilitador nas finanças, ele também pode se mostrar um vilão, se utilizado sem prudência. Por isso, preparamos este texto com tudo que você precisa sobre cartões de crédito, principalmente como usá-los de forma saudável. Confira a seguir.

Cartão de crédito: o que é e como funciona

Em resumo, ele é um instrumento de pagamento, onde o cliente possui um limite pré-definido para fazer suas compras. Hoje em dia é difícil encontrar estabelecimentos que não aceitem o crédito como forma de pagamento. E além das lojas físicas, também é utilizado em compras online.

Prazos, taxas, limites e regras de uso são administrados pela bandeira do cartão. Ela ainda é responsável por intermediar o relacionamento dos clientes com a operadora. As bandeiras podem ser bancos ou instituições financeiras que disponibilizam o cartão de crédito e há muitas delas em circulação. Na lista a seguir você conhece as 4 mais utilizadas no Brasil:

  • Visa é a mais popular e é aceita em cerca de 24 milhões de estabelecimentos no mundo;
  • Mastercard é a segunda maior bandeira e está presente em um total de 210 países;
  • American Express ou Amex, como também é chamada, é aceita em mais de 1 milhão de estabelecimentos no Brasil;
  • A Elo é genuinamente brasileira e tem associação a três bancos nacionais: Bradesco, Caixa e Banco do Brasil.

As faturas costumam ter vigência de 40 dias e essa é uma das principais características do cartão de crédito. O cliente consome hoje para pagar apenas no mês seguinte. Muitos estabelecimentos permitem ainda o parcelamento das compras feitas com o cartão, facilitando ainda mais a vida do consumidor.

Compras do dia a dia versus compras grandes

Com a facilidade do “compre agora e pague depois” o cartão de crédito, sobretudo, para duas formas de uso: compras do dia a dia e compras grandes. No dia a dia, adquirimos muitos com o crédito. São tantas compras que, às vezes, nem nos damos conta. Pode ser um lanche comprado em fast-food, o combustível do carro, o Uber até o trabalho e muito mais.

Normalmente elas ocorrem com frequência, justamente por terem um valor baixo. O consumidor acredita que esse pequeno preço não vai pesar na fatura no final do mês. Só que de em compra em compra, ele acaba estourando o limite sem nem perceber. Outra característica é que essas compras não são de extrema necessidade na maioria das vezes e poderiam ser facilmente pagas no débito.

As compras grande são menos recorrentes, afinal os produtos tem um custo maior. Nestes casos, envolvem produtos ou serviços com certo grau de necessidade ou urgência. Como a compra de um celular novo porque o atual quebrou, por exemplo.

Não há uma regra para o uso de cartão, mas definir como e quando utilizá-lo é uma forma de controle.

Mesmo garantindo alguns benefícios e facilidades, o cartão de crédito exige o uso consciente e muita atenção. Ele pode passar de uma ferramenta de auxílio para um vilão nas finanças em um piscar de olhos.

Autocuidado para não se enrolar com o cartão de crédito

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) apontou que 4 em cada 10 brasileiros usam o cartão sem manter controle sob os gastos. Os dados mostram que as chances do consumidor entrar em uma dívida são grandes.

Pode até parecer impossível ter uma relação sadia com o cartão de crédito. No entanto, a melhor forma de não se enrolar e utilizá-lo de forma positivo é por meio do planejamento. Listamos aqui dicas simples para você controlar seus gastos e poder usar essa ferramenta sem ter dor de cabeça.

1- O limite do cartão de crédito não pode ultrapassar mais de 25% da renda mensal

A regra principal para uma relação sadia com o cartão é manter um limite baixo e que representa apenas ¼ da sua renda. Como a saída do dinheiro não é sentida de maneira imediata, o crédito passa a sensação que você tem sobrando no bolso. Sabemos que essa não é a realidade. Limites de apenas 25% da renda mensal não comprometem outros gastos mantidos com ela, como aluguel e alimentação.

2- Faça um registro diário dos gastos

A melhor maneira de saber para onde está indo o seu dinheiro é registrar todas as despesas. Isso também vale para o cartão de crédito, já que muitas vezes só sentimos o peso daquele gasto quando chega a fatura. Guarde os comprovantes de pagamento feitos com cartão e os anote em uma planilha. Ao fazer isso diariamente você conseguirá enxergar como estãos os seus gastos e o que ainda tem disponível para uso.

3- Dê preferência para compras à vista

Pagar em dinheiro ou no débito é uma opção viável para evitar dores de cabeça pelo uso excessivo do cartão de crédito. Compras à vista são quitadas imediatamente e também garantem algumas vantagens. Dependendo do produto ou serviço, é possível conseguir um bom desconto quando o pagamento é em cash. Além disso, você evita de usar o cartão para compras onde há pouca necessidade de recorrer a esse recurso.

4- Evite andar com o cartão

A maioria das compras no crédito ocorrem porque ele está ali em mãos, pronto para ser utilizado. Por isso, o ideal é deixar o cartão em casa. Guarde-o em uma gaveta e se limite a usá-lo somente quando houver necessidade ou urgência.

5- Não acumule parcelas

O parcelamento é um dos muitos benefícios que o cartão de crédito garante, mas também pode se tornar uma terrível enxaqueca. Quem costuma dividir as compras, mesmo que em parcelas pequenas, prolonga a fatura por muitos meses. O ideal é optar pelo parcelamento apenas quando não há possibilidade de comprar à vista. E nos casos em que você precisa adquirir produtos cujo os valores são altos, dê prioridade àquele que é mais urgente. Deixe para comprar o outro no próximo mês.

Como controlar o impulso na hora da compra

Comprar por impulso é um hábito que atinge 60% dos brasileiros. Estes dados foram apresentados pelo SPC Brasil e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em 2018. Como não envolve nenhum planejamento, esse tipo de compra é bastante preocupante. E sobretudo para quem utiliza o cartão de crédito com frequência, as compras por impulso viram verdadeiras inimigas do consumidor.

Para evitar esse hábito negativo, é necessário ponderar alguns pontos antes da compra, como:

  • é realmente necessário ou urgente comprar determinado produto/serviço?
  • você pesquisou em outros locais o preço do item?
  • existe a possibilidade de comprá-lo à vista?
  • alguém está te incentivando a fazer esta compra?

Essa pequena auto-análise da situação é um caminho positivo para evitar comprar algo sem real necessidade. Também é um dos passos fundamentais para não perder o controle com os gastos no cartão de crédito.

Viu só, como é possível ter o cartão de crédito como um aliado nas suas finanças?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*