Após o corte da Selic pelo Copom (Comitê de Política Monetária) para 4,25% ao ano, houve uma resposta imediata por parte dos bancos Itaú e Banco do Brasil, que já anunciaram cortes nos juros das suas linhas de crédito para pessoas físicas e jurídicas.

Por parte do Itaú, o corte de 0,25% deverá ser repassado, integralmente, às suas linhas de crédito da seguinte maneira: no caso de pessoa física, a redução será no empréstimo pessoal. Já a pessoa jurídica, no capital de giro.

No entanto, as taxas variam de acordo com o perfil do cliente e seu relacionamento com o banco. Os novos valores passam a valer a partir do dia 10 de fevereiro.

“O banco reforça seu posicionamento de manter preços competitivos no mercado, sem deixar de lado o valor agregado em seus serviços e produtos, buscando sempre oferecer a melhor relação custo-benefício para todos os seus clientes”, informou o banco em nota.

Banco do Brasil

Sem ficar pra trás, o Banco do Brasil também anunciou a redução das taxas cobradas nos empréstimos e crédito imobiliário, tanto para pessoa física, quanto jurídica.

As linhas de home equity (BB Crédito Imóvel Próprio) e Crédito Estruturado operadas pelo banco passarão a ter taxas mínimas a partir de 0,94% ao mês e de 1,20% ao mês; ante os 1,30 % e 1,38% ao mês, respectivamente, ao mês,  cobradas anteriormente.

Os Descontos de Cheques, Descontos de Títulos e antecipação de crédito ao lojista (ACL) também foram ajustados, com uma pequena redução. A partir do dia 10, passarão a contar com taxas de 1,19%, 0,93% e 0,88% ao mês, respectivamente. As taxas atuais eram de 1,23% no primeiro caso, 1,04% para Desconto de Títulos e de 0,94% ao mês para o ACL.

Para as linhas de capital de giro a taxa mínima passará de 1,22% ao mês para 1,12% ao mês.

Tal alteração também vale para a Conta Garantida, que passará a ter taxa mínima de 2,27% ao mês (ante os atuais 2,36%).

Por fim, no crédito imobiliário, o Banco do Brasil informou que as linhas Carteira Hipotecária e Sistema Financeiro da Habitação (SFH) terão juros reduzidos de 7,20% ao ano para taxas a partir de 6,99% ao ano.

As novas condições entram em vigor para todas as linhas a partir da próxima segunda-feira (10) e, podem variar, conforme o relacionamento do cliente com o banco.

Bradesco

O banco Bradesco não deu muitos detalhes sobre as mudanças de suas taxas mas, emitiu nota afirmando que “reduzirá as taxas de juros de suas principais linhas de crédito a partir de segunda-feira, 10 de fevereiro, acompanhando a decisão do Copom”.

Recomendados para Você
15 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*