Mês de janeiro é mês de férias escolares e de se planejar para pagar os impostos IPVA (Imposto sobre propriedade dos veículos automotores) e IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

O calendário para pagamento do IPVA em São Paulo, por exemplo, já está aberto para proprietários de veículos com placa de final 1.

Governos municipais e estaduais dão descontos para quem paga tais impostos em cota única.

Segundo consultores, para quem conseguiu entrar em 2020 com dinheiro em caixa, essa seria a melhor opção para abater o valor a ser pago nos impostos.

Calculando a Diferença

No caso de São Paulo, por exemplo, o governo oferece 3% de desconto aos proprietários que pagarem o IPVA integralmente.

Pra se ter uma ideia, em um veículo com IPVA de R$ 800, esse desconto seria de R$ 24.

O valor parece baixo, mas esse abatimento é mais do que uma aplicação de renda fixa pode te proporcionar se seu dinheiro estivesse investido durante três meses (período que se pode parcelar o imposto).

O planejador financeiro Caio Torralvo afirma que

“Agora com as taxas de juros tão baixas, realmente essa conta ficou muito favorável para quem tem a possibilidade de pagar a vista, porque estamos falando de uma taxa de juros de 4,5% ao ano. Na melhor das hipóteses, se você investir, vai ter que deixar o dinheiro um ano inteiro parado para ganhar 4,5%. E sobra menos do que 4,5% , por causa do imposto de renda.

Pego o Dinheiro Investido Para Pagar?

Antes de realizar essa ação, você deve analisar a quanto tempo seu dinheiro está investido.

Isso porque quanto menor o tempo que ele estiver aplicado, maior a porcentagem do Imposto de Renda e, dependendo desse valor, talvez nem valha a pena sacar.

Confira abaixo o quanto será descontado de você dependendo do tempo:

  • Até 180 dias: 22,5% de IR
  • Até 360 dias: 20%
  • Até 720 dias: 17,5%
  • Acima de 720 dias: 15% de IR

Ou seja, de nada adianta tirar o dinheiro da aplicação se, sobre ele será paga uma alíquota maior de Imposto de Renda sobre o ganho da aplicação.

Empréstimo ou Cartão são opções?

Não. Embora as taxas de juros tenham diminuído, o custo do financiamento vai superar o benefício do abatimento do imposto.

“Só valeria a pena se o cidadão conseguisse obter empréstimo a uma taxa mais baixa do que o desconto.” observa Torralvo

Esse valor (menor que 3%) é realmente muito difícil.

Caso o indivíduo tenha a real necessidade de parcelar seu imposto, uma alternativa oferecida é de realizar essa transação direto com o governo, a não ser que consiga parcelar pelo cartão sem juros. Nesse caso, o cliente tem a oportunidade de acumular pontos para trocar por benefícios mais tarde.

Cuidado Com as Multas

Se não houve a oportunidade de escapar do parcelamento, o contribuinte deve se esforçar para não pagar com atraso as parcelas do IPTU e IPVA.

Afinal, sobre elas são cobradas multas e taxas de juros que vão encarecer ainda mais seu compromisso.

Veja o exemplo do IPTU paulistano, a partir do dia seguinte ao vencimento, são cobrados acréscimos de 0,33% ao dia, até atingir o limite de 20%.

A partir do mês seguinte também passam a incidir, cumulativamente, atualização monetária pelo IPCA e juros de 1% ao mês.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*

Recomendados para Você