Fevereiro é um mês de folia para muitos brasileiros. A festa nacional conhecida como Carnaval é famosa no mundo todo e, por isso, mesmo se divertindo, é preciso tomar cuidado para não cair em golpes que frequentemente acontecem nessa época do ano.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) já está divulgando vídeos alertando sobre os principais tipos de fraudes nessa época do ano. Veja alguns exemplos de golpes e como evitá-los, de acordo com a Febraban.

  1. Roubo do Celular

Golpistas planejam roubar celulares nesses dias principalmente para furtar dados do usuário que, na maioria das vezes estão no telefone.

É comum após roubos de celulares, a vítima procurar a empresa de telefonia e, muitas vezes, do cartão de crédito. No entanto, quase ninguém se lembra de avisar o banco que o celular foi furtado.

Usuários de bancos geralmente possuem aplicativos da sua conta no próprio aparelho, e isso pode se tornar perigoso. Adriano Volpini, diretor da Comissão de Prevenção a Fraudes da Febraban afirma que

“É importante que a pessoa entre em contato com o banco para comunicar o roubo do celular assim que perceber que não está mais com o aparelho. Assim, a instituição financeira bloqueará a conta e impedirá que os bandidos realizem qualquer operação.”

  1. Troca do Cartão

Outro golpe que é comum acontecer em eventos que atraem multidões é o da troca do cartão. O golpista se passa por vendedor ambulante e oferece uma maquininha ao consumidor para digitar sua senha.

Ao inserir os números, estes ficam gravados na máquina e, depois, aproveitando-se de um momento de falta de atenção do comprador, ele troca o cartão e devolve outro parecido.

Por isso, fique atento ao cartão que recebe de volta, confira se é mesmo seu e exija o comprovante de pagamento para determinar a legitimidade do meio de pagamento. Caso prefira, leve dinheiro contado, para evitar esse tipo de golpe.

  1. Roubo da Senha

Essa situação acontece quando o golpista não digita o preço na maquininha e pede que o consumidor digite a senha antes do valor. Desse modo, os números, que deveriam ser secretos, se tornam visíveis, facilitando um novo golpe.

  1. Valor Errado

De todas as fraudes levantadas pela Febraban, essa, definitivamente é a mais comum. Nela, o golpista digita o valor errado na maquininha e, muitas vezes devido a longas filas e desejo de comprar logo o que precisa, o folião não presta atenção no valor digitado e acaba inserindo sua senha sem conferir o quanto está pagando. Por exemplo, em uma compra de R$ 10, ele pode acabar pagando R$ 100 ou R$ 1.000.

  1. Páginas, Emails, e SMS Falsos

Nessa época do ano, é comum receber avisos falsos de bancos, ou operadoras de cartão de crédito. Antes de responder essas mensagens, deve-se entrar em contato direto com a fonte, não pela forma de comunicação que recebeu e sempre desconfie de pedidos de atualização de dados, além de jamais fornecer senhas ou códigos de acesso ou de validação.

Veja Dicas Para Evitar Cair Em Golpes

Além do alertas, a Febraban dá algumas dicas para reduzir o risco de cair em golpes.

  • Nunca empreste seu cartão e nem perca-o de vista. Se o comprador for em outro local atrás dá maquininha, acompanhe-o.
  • Sempre confira o valor digitado na máquina e se é equivalente ao que você gastou.
  • Não deixe que ninguém te veja digitando a sua senha.
  • Ao finalizar a compra e pegar o cartão de volta, veja se é o seu nome que está nele.
  • Solicite sempre a via do comprovante de venda e confira o valor impresso da compra.
  • Cadastre-se para receber avisos por SMS ou e-mail a cada transação realizada com seu cartão.
  • Nunca guarde a senha junto com o cartão.
  • Tome cuidado com esbarrões ou encontros acidentais, que possam levar a perder de vista, temporariamente, o seu cartão. Se isso ocorrer, verifique se o cartão que está em seu poder é realmente o seu. Em caso negativo, ligue imediatamente para o banco e solicite o cancelamento.
  • Quando for destruir um cartão, corte o chip ao meio.
  • Em caso de roubo, perda ou extravio do seu cartão, ligue imediatamente para a Central de Atendimento do seu banco e solicite o cancelamento do cartão. Em caso de roubo, também registre um B.O. na delegacia mais próxima.

Dinheiro Nem Sempre é Devolvido

Todas essas indicações servem de alerta para os consumidores pois, segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), em caso de golpes e fraudes, as instituições financeiras têm responsabilidade sobre os bens do cliente que estão sob seus cuidados, mas há casos em que o consumidor pode ficar no prejuízo.

Infelizmente, nem sempre o dinheiro roubado é devolvido, muitas vezes o judiciário é bem rigoroso na análise de ações sobre fraudes em compras com cartões.

Nessas ocasiões, quando o consumidor entra na justiça solicitando seu dinheiro de volta, os bancos muitas vezes conseguem comprovar que os golpistas usaram a senha dos clientes e os cartões com chip. Assim, fica comprovado que houve negligência ou desleixo dos correntistas om os cartões e senhas e o dinheiro não é devolvido.

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*