O Itaú Unibanco anunciou nesta segunda-feira (13) a doação de R$ 1 bilhão para financiar ações de combate ao coronavírus no Brasil. Mas não foi só o banco que se preocupou com a atual situação da saúde no país, outras grandes empresas como Bradesco, Santander, Gerdau, Ambev, Rede D’Or, Petrobras e Vale já anunciaram sua contribuição para conter a pandemia. Veja ações anunciadas até o momento:

Itaú Unibanco

Através de um comunicado no próprio site, o Itaú Unibanco comunicou aos seus acionistas e ao mercado a criação da iniciativa “Todos pela Saúde”, liderada pelo médico médico Paulo Chapchap, doutor em clínica cirúrgica pela Universidade de São Paulo e diretor-geral do Hospital Sírio Libanês, e composta por mais seis especialistas que definirão o destino desses recursos.

Com o financiamento de R$ 1 bilhão doados pelo banco, o maior objetivo do “Todos pela Saúde” é de combater o novo coronavírus e seus efeitos sobre a sociedade brasileira, por meio de quatro eixos: informar, proteger, apoiar e retomar.

Dentre suas principais ações, destacam-se o aumento de testes para o novo coronavírus na população e para profissionais de saúde, além do apoio aos gestores públicos estaduais e de grandes municípios na ampliação da capacidade e eficiência das estruturas hospitalares e compra de insumos estratégicos, como máscaras de proteção, equipamentos de saúde, kits de higiene e de alimentos.

Segundo o banco, esta doação se soma “às outras já anunciadas” nas semanas anteriores, no valor de R$ 250 milhões, por meio da Fundação Itaú para Educação e Cultura e do Instituto Unibanco.

Completando a equipe de especialistas, o Itaú Unibanco conta com o apoio do Dr.Drauzio Varella, médico, cientista e escritor ; Gonzalo Vecina Neto, ex-presidente da Anvisa ; Maurício Ceschin, ex-diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde (ANS); Eugênio Vilaça Mendes, consultor do Conselho dos Secretários de Saúde (Conass); Sidney Klajner, presidente do Hospital Albert Einstein; Pedro Barbosa, presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), instituição ligada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Bradesco

Em uma iniciativa junto com o Banco Itaú e o Banco Santander, os maiores bancos privados do país assumiram a responsabilidade de importar 5 milhões de testes rápidos de detecção da doença, além de equipamentos médicos, como tomógrafos e respiradores.

O Bradesco também está importando 500 monitores de UTI para o apoio hospitalar no tratamento do novo coronavírus. Além disso, o dinheiro arrecadado com as doações desses bancos será usado para comprar aproximadamente 15 milhões de máscaras, que serão produzidas por microempreendedoras.

Rede D’or

A Rede D’Or é a maior operadora independente de hospitais do Brasil, e referência na qualidade do atendimento, na equipe médica e na tecnologia. No Rio de Janeiro, segunda cidade mais infectadas pelo novo coronavírus no Brasil, a Rede D’Or está à frente da construção e operação do hospital de campanha na autoestrada Lagoa-Barra que atenderá pacientes infectados pela Covid-19 e irá gerar mais de mil empregos diretos e indiretos na cidade.

A estrutura do hospital contará com 200 leitos, com aparelhos de ultrassom e ecocardiograma, laboratório de patologia clínica, tomografia digital e radiologia convencional. A previsão para sua entrega é de até o fim do mês de abril.

Além do planejamento e encabeçamento do projeto, a Rede D’Or arcou com R$ 25 milhões para financiar este hospital e o restante do valor foi custeado pelo Bradesco Seguros, Lojas Americanas, Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP) e o Banco Safra.

Vale

Mesmo não tendo informado o valor doado, sabe-se que a Vale está destinando recursos para auxiliar na obra do hospital no Parque dos Atletas, também no Rio de Janeiro, com previsão de conclusão na segunda quinzena de maio.

Além desse auxílio, a mineradora também já comprou 5 milhões de kits de testes rápidos para o novo coronavírus na China, que devem chegar nas próximas semanas, além de equipamentos de proteção individual, como óculos, luvas e máscaras, para médicos e enfermeiros, que serão encaminhados ao Governo brasileiro.

No Pará , a Vale ainda doou R$ 1,5 milhão na reforma de uma sala de internação do Hospital Municipal de Paraupebas e está investindo em outros Estados, contribuindo com material de limpeza, kits de higiene pessoal, álcool gel, camas hospitalares, ambulâncias e equipamentos de proteção individual.

Gerdau e Ambev

As duas empresas se uniram ao Hospital Israelita Albert Einstein e à Prefeitura de São Paulo, para ajudar na construção de um hospital com 100 leitos para atender o público exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Mesmo sem informar o valor do investimento, constatou-se que a Gerdau oferecerá o aço na construção e a Ambev participará ativamente na gestão do projeto.

Este hospital está sendo construído em anexo ao Hospital Municipal M’Boi Mirim, na zona sul de São Paulo e ontem já foram entregues os primeiros 40 leitos. Segundo anúncio, o restante será finalizado até 30 de abril e, posteriormente, a nova unidade de saúde será entregue à prefeitura de São Paulo.

Petrobrás

A companhia encomendou 600 mil testes para diagnóstico da Covid-19 e o primeiro lote (300 mil) já chegou dos Estados Unidos e foi entregue ao SUS (Sistema Único de Saúde). A previsão é que o restante chegue em maio.

A Petrobrás ainda informou que irá direcionar parte da capacidade de processamento de computadores de alto desempenho (HPC) – os chamados “supercomputadores” – para colaborar com pesquisas de universidades sobre o combate ao coronavírus.

BTG Pactual

Dona do banco Pan e de centenas de outros investimentos financeiros, a BTG Pactual anunciou uma doação de R$ 50 milhões que será destinada a quatro frentes: apoio a profissionais da saúde e compra de equipamentos e materiais para garantir atendimento à população; apoio a hospitais para aumento da capacidade de leitos; suporte à população mais vulnerável; e fomento à testagem em grande escala.

XP Investimentos

A corretora, além de doar R$ 25 milhões para o combate do novo coronavírus, criou uma campanha para engajar clientes e funcionários, que até esta segunda-feira (13) já contribuíram com R$ 6 milhões.

Grupo Votorantim

A família Ermírio de Moraes, dona do grupo Votorantim, anunciou a doação de R$ 50 milhões para iniciativas de combate ao coronavírus.

Grupo J&F

Um dos maiores grupos privados do Brasil, é dono do Banco Original, do Canal Rural, Havaianas, Osklen, Mizuno, Timberland e Dupé. Em nota, o grupo afirmou que doou R$ 27 milhões para compra de testes sorológicos no combate à Covid-19.

Para completar, as empresas JBS, Flora e Eldorado Brasil doaram 12 mil equipamentos de proteção individual, 21 toneladas de alimentos e 405 toneladas de produtos de higiene e limpeza para hospitais municipais nos 17 estados onde o grupo mantém operações. Equipamentos de proteção, como uniformes e máscaras para garis, também foram doados.

Magazine Luiza

As famílias Trajano e Garcia, controladoras da varejista Magazine Luiza, doaram R$ 10 milhões do patrimônio para iniciativas de combate à crise do coronavírus.

Diageo e Pernod Ricard

As fabricantes de bebidas anunciaram a produção e o envase de 88 mil litros de álcool em gel, destinados ao sistema de saúde dos estados do Rio de Janeiro e do Ceará.

Dona de marcas como Johnnie Walker, Smirnoff, Ypióca e Tanqueray a Diageo já produziu e envazou 50 mil litros de álcool em gel 70% nos últimos meses. A produção foi doada à Secretaria da Saúde do Ceará.

Já a Pernod Ricard, dona de marcas como Absolut, Ballantine’s, Chivas Regal e Jameson, informou que produziu na fábrica de Resende (RJ) 36 mil litros de álcool em gel. O produto foi doado para hospitais localizados nos municípios de Volta Redonda, Resende, Quatis, Porto Real e Barra Mansa, todos no sul do Estado do Rio de Janeiro.

Marfrig

A Marfrig Global Foods, maior produtora de hambúrgueres do mundo, doou R$ 7,5 milhões para o Ministério da Saúde para compra de testes rápidos para diagnosticar a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.
A empresa anunciou também a produção de 10 toneladas mensais de álcool gel em sua unidade de Promissão, no interior de São Paulo, que serão distribuído aos colaboradores e a hospitais e instituições assistenciais localizadas nas comunidades onde a Marfrig opera.

Unilever

70 toneladas em produtos de higiene e limpeza para o Estado do Rio de Janeiro foi a doação anunciada pela empresa. Segundo comunicado, o próprio Governo do Rio está responsável por distribuir as doações para as pessoas em situações de vulnerabilidade, hospitais e entidades de assistência a idosos.

Suzano

A família Feffer, controladora da produtora de celulose e papel Suzano, investiu R$ 60 milhões na produção de 60 toneladas de papel higiênico para doação e aproximadamente 4 toneladas de fraldas.

Klabin

A maior produtora e exportadora de papéis no país doou itens hospitalares, embalagens para transporte de alimentos e produtos de higiene para hospitais, entidades e clientes com iniciativas nas áreas de saúde e assistência social, especialmente nas regiões onde tem operação.

Hering

A Hering anunciou que mobilizou parte de sua produção para fazer uniformes de proteção para os profissionais da saúde. E que milhares de peças serão doadas a diversos hospitais para ajudar a combater o novo coronavírus.

Família Diniz

A família Diniz é fundadora dos supermercados Pão de Açúcar e controladora da Península Participações e participa do movimento União SP, que já arrecadou duas mil toneladas de alimentos para famílias mais vulneráveis na capital e em três municípios de São Paulo.

EDP

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico, doou R$ 6 milhões à organização social Comunitas para a compra de respiradores hospitalares necessários para atender a leitos de UTIs dos hospitais públicos no estado de São Paulo. No total, a campanha da Comunitas arrecadou R$ 23,4 milhões com a ajuda de 150 empresas.

PSA Peugeot Citroën

A fabricante de veículos de origem francesa anunciou a produção de protetores faciais em sua unidade de Porto Real (RJ) para serem usados por profissionais da saúde no combate ao coronavírus. Os equipamentos serão doados para autoridades das cidades próximas, e vão ser produzidos em parceria com a Fablab de Resende, cidade vizinha.

General Motors

A dona da Chevrolet, líder do mercado automotivo do Brasil, está mapeando os respiradores quebrados do país, e realizando uma força-tarefa para reparar os aparelhos.  Suas fábricas brasileiras já estão sendo adaptadas para essa operação e mobilizadas com uma rede de funcionários voluntários. A empresa estima que há 5 mil respiradores parados.

Baterias Moura

A Moura, que atua no segmento de baterias, anunciou a doação de 100 mil máscaras para reforçar as medidas de proteção individual na luta contra o coronavírus. Estas máscaras foram desenvolvidas pelas equipes de engenharia da Moura e serão produzidas por eles. Seu principal destino é a população, os funcionários e suas respectivas famílias e os profissionais das revendas da marca em todo país.

Cacau Show e Lacta

A Cacau Show anunciou a doação R$ 1,4 milhão em chocolates para hospitais, postos de saúde e hemocentros, além da entrega de 300 mil ovos de páscoa, em todo o país, para instituições de caridade, escolas e empresas de serviços essenciais – como limpeza, manutenção e segurança. A empresa ainda irá contribuir com a doação de R$ 1 milhão ao Governo de São Paulo para o auxílio com respiradores nos hospitais do Estado que mais precisam.

A Lacta anunciou a doação de mais de meio milhão de ovos de Páscoa para diversas entidades e instituições que atendem a pessoas em vulnerabilidade social.

Fundação Lemann

A fundação do empresário Jorge Paulo Lemann tem dado suporte com estrutura de ensino à distância para que 40 milhões de alunos da rede pública de educação possam ter aulas e acesso a conteúdo didático.

Invepar

O grupo Invepar doou 30 toneladas de alimentos para apoiar comunidades carentes no entorno de suas empresas no Brasil em quatro estados (Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Bahia).

Produtores de Cachaça e Usinas de Etanol

O Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), anunciou que vai doar 70 mil litros de álcool 70% para o Sistema único de Saúde (SUS) para o atendimento do público. Os primeiros locais a receberem este recurso serão as cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Alagoas e Rio Grande do Sul.

A Tereos, uma das gigantes do setor da cana-de-açúcar, anunciou que vai doar 2 mil litros de álcool líquido 70% para hospitais e postos de atendimento do SUS dos municípios de Assis, Ibirarema e Palmital.

Já a Atvos, que opera usinas de etanol em 5 estados brasileiros, cederá gratuitamente 160 mil litros de álcool 70% para instituições de São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O produto será destinado a Secretarias Estaduais de Saúde, Prefeituras e Secretarias Municipais de Saúde, associações de classe, sindicatos ou organizações não governamentais.

Fonte: G1

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*