Se você mora no Brasil, certamente ouviu falar de uma grande varejista brasileira chamada Casas Bahia, hoje, com 540 lojas espalhadas pelo país, começou como uma ideia simples.

O empresário Samuel Klein foi responsável pela construção desse grande império e, inclusive, escreveu um livro chamado “Samuel Klein e as Casas Bahia: Uma trajetória de sucesso”, publicado pela Editora Novo Século, onde relata todas suas dificuldades e alegrias.

Samuel Klein e as Casas Bahia: Uma trajetória de sucesso

Judeu, nascido em 1923 na Polônia, ao 19 anos Samuel foi preso e enviado, junto com o pai, para o campo de concentração de Maidanek, em seu país natal.

Ele conta no livro que era um jovem muito forte, e por isso sobreviveu ao ser enviado para um campo de trabalhos forçados, onde realizava serviços de carpintaria.

Em 1944, Samuel conseguiu escapar do campo de concentração e fugir para a Alemanha, onde começou sua carreira de comerciante vendendo vodka e cigarro para as tropas aliadas que permaneceram no país.

Durante esse período, Samuel Klein casou-se e teve um filho, e dizia que seu sonho era poder prosperar em um país onde pudesse viver em paz. Para sua sorte, surgiu uma oportunidade de vir morar na América do Sul com sua família e ele aceitou prontamente, então em 1951, eles desembarcaram na Bolívia.

O período que a Bolívia estava passando era de instabilidade política e com diversos confrontos civis, então eles resolveram se mudar para o Brasil e chegaram em São Caetano do Sul, no ABC paulista.

Com US$ 6 mil no bolso, ele comprou uma casa, uma charrete e alguns produtos como roupas de cama, mesa e banho e começou a vender para seus fregueses, como gostava de chamar. Estes eram principalmente baianos, que haviam se deslocado para a região em busca de emprego no setor automobilístico.

Em 1957, Samuel já tinha capital suficiente para abrir sua primeira loja e a chamou de “Casas Bahia”.

A Aposta na Classe C das Casas Bahia

Um dos grandes diferenciais das Casas Bahia é justamente esse, ter como público alvo a Classe C, antes desvalorizada pelos varejistas. Klein dizia o seguinte: “A riqueza do pobre é o nome.”

Acreditando nisso, ele se tornou um comerciante que confia no freguês, independente de sua origem social, e isso lhe rendeu muitos resultados positivos.

O livro conta que, desde que ele vendia seus itens de porta em porta e algumas pessoas não podiam pagar, ele logo oferecia o produto em condições mais acessíveis para o cliente como prestações, tudo no crediário, e sua mulher cuidava da contabilidade das vendas.

Com essa identificação por parte dos clientes, a loja Casas Bahia logo ganhou a fidelidade dos fregueses e começou a negociar com as mesmas condições facilitadas produtos como: móveis, colchões, eletrodomésticos e diversos itens para o lar, e a clientela pagava rapidamente suas prestações para poder adquirir novas mercadorias.

A loja se expandiu tanto, que foi criando franquias por todo o país e hoje conta com mais de 30 mil funcionários, 650 lojas e 11 milhões de clientes mensais.

Samuel Klein morreu em 20 de novembro de 2014, aos 91 anos, e assim como outros empresários de sucesso, conquistou uma grande marca com muito esforço e trabalho duro.

Se você também deseja se tornar um grande empreendedor, confira aqui 5 dicas para quem quer saber como iniciar um negócio e como obter as melhores condições de empréstimo para empresa e desejamos muito sucesso!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*