Cotação do Dólar Muda Planos de Viagem de Turistas

Cotação do Dólar Muda Planos de Viagem de Turistas

A maior preocupação para quem deseja viajar para o exterior tem sido a cotação do dólar.

O dólar, este mês, chegou a ser negociado por R$ 4,38 nas casas de câmbio.

Com a cotação influenciada pelo mercado interno e por fatores externos, em seus dias de volatilidade ele teve baixa de 0,22% e a alta acumulada de 2,54%. Tudo isso no período de um mês.

A diretora da casa de câmbio GetMoney, Vanessa Blum explica que o maior motivo dessa oscilação foi devido a guerra comercial. “Enquanto China e Estados Unidos continuarem tarifando produtos, com esse protecionismo, não há cenário de melhora para o câmbio.” Afirma.

Variação do dólar em 2019

O dólar é a moeda oficial dos Estados Unidos, a maior economia mundial. Por isso, a maioria das transações internacionais realizadas no mundo são feitas em dólar.

Assim, qualquer flutuação da economia norte-americana americana afeta a cotação da moeda em todos os países.

No Brasil, a taxa de câmbio não é definida pelo Governo. Ela depende do movimento do mercado internacional, e da Lei da oferta e da procura pois quando há muita moeda americana circulando no país (muita oferta), o preço do dólar cai, caso contrário, o preço tende a subir.

Em 2019, estamos tendo várias oscilações nas economias mundiais, e isso tem afetado a cotação no Brasil. Além da guerra comercial entre China e EUA, o gerente de câmbio da OuroMinas, Mauriciano Cavalcanti, destaca ainda outros acontecimentos mundiais como o ataque a petrolífera na Arábia Saudita, que provocou o aumento no preço do petróleo em todo o mundo: “Toda vez que acontece algum fato dessa grandeza o mercado é afetado, principalmente as moedas emergentes.”

Por falar em moedas emergentes, no Brasil as taxas de juros Selic caíram para 5,5% ao ano e esse valor é considerado o menor patamar da história. Com a queda da rentabilidade das aplicações em renda fixa, os investidores tendem a buscar ativos mais rentáveis como dólar e ouro.

Você se lembra da Lei da oferta e da procura? Pois bem, é aqui que ela entra. Quanto maior a demanda de pessoas comprando dólar, mais os preços sobem.

A previsão para o mercado brasileiro é que a aprovação da Reforma da Previdência contribua para aumentar a confiança na economia brasileira, e consiga equilibrar o valor do dólar no país. Vanessa Blum explica que “o Real não está forte, internamento do cenário é de crise. O que a gente precisa é de notícia interna boa para valorizar o real, mudanças estruturais como a Reforma da Previdência.”

Mudanças de Planos Para Turistas

Esperando pela aprovação da Reforma da Previdência no Senado, a estudante That Lorrany Lima, que estava com a viagem para Orlando marcada, decidiu esperar a economia no Brasil favorecer a cotação do dólar para comprar e acabou se arrependendo.

“Comprei agora assustada, porque um tempo atrás eu já tinha o dinheiro disponível e o dólar estava R$ 3,74, mas decidi esperar. Foi a maior besteira que fiz.” Desabafa.

Seus planos também mudaram, antes, ela planejava visitar quatro parques da Disney e um do Universal Studios, além de comprar eletrônicos e perfumaria, agora ela precisou diminuir seu roteiro e mudar as possibilidades de compras de importados.

A diferença do pacote Disney do início do ano para este mês é muito grande, a visita aos quatro parques, por exemplo, estava calculada em R$ 2800, agora, visitando apenas três, ela vai pagar em torno de R$ 2900.

E não é só a entrada dos parques que está cara não. Outras atrações turísticas nos Estados Unidos chegaram a registrar alta nos últimos meses, de acordo com uma agência turística da zona norte de São Paulo, um exemplo é o Museu de Arte Moderna de Nova York, que custa US$ 32, convertendo em reais, passou de R$ 112 para R$ 120.

Por isso, se você planeja realizar uma viagem para o exterior nos próximos meses, os especialistas recomendam que é melhor se organizar e comprar um lote de dólares por mês, assim, não vai comprar barato demais, nem caro demais, a sua cotação vai atingir uma média.

Essa também é a orientação de Mauriciano Cavalcanti, “o turista não deve especular, apostar que a cotação vai cair. Ele deve aproveitar os momentos de leve baixa para comprar um pouco de dólares. Não precisa comprar tudo de uma vez, é melhor fazer uma média para não ter surpresas.” conclui.

Como o dólar está alto, para economizar na sua viagem, outra sugestão é conferir todos os cartões que você possui: crédito, dotz, e até cartões de combustível.
Verifique sua pontuação, e qual vantagem você pode aproveitar a seu favor para economizar dinheiro. Por exemplo, alguns cartões oferecem descontos na compra de passagens aéreas, descontos em aluguéis de carro, sala vip no aeroporto, dentre outros.

É necessário que o consumidor sempre fique atento para os benefícios que ele tem direito e, muitas vezes não sabe. Usando sua pontuação a seu favor, é possível economizar ainda mais e aproveitar melhor sua viagem ao exterior.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

Sem comentários