Quantas vezes você se perguntou como um time de futebol ganha dinheiro? Muitas, certo? Pois bem, ainda que seja a maior paixão do brasileiro, o esporte não se sustenta somente pelo envolvimento dos torcedores. Ele, na verdade, apoia-se nesse sentimento para misturar a emoção da bola rolando a cada domingo, finanças e entretenimento.

Abaixo, vamos explicar um pouco melhor de onde vêm as principais receitas do seu clube e como você, inclusive, pode ajudá-lo a crescer ainda mais. Vem conosco!

Televisão

A principal e mais lucrativa receita dos clubes brasileiros está na televisão. Se outrora os times faturavam mais com a presença massiva de seus torcedores no estádio, agora veem aqueles que estão no conforto do sofá como bons “financiadores”.

Essa parceria começou em meados da década de 1970, quando aconteceu a primeira venda de direitos de transmissão entre emissoras de televisão e clubes do futebol brasileiro, intermediados por empresas de marketing esportivo que começavam a explorar a maior paixão nacional.

Atualmente, pegando como referência somente o atual contrato da TV Globo com os clubes do Campeonato Brasileiro, que terá vigência entre 2019 e 2023, ficou estipulado um valor de referência de R$ 1,1 bilhão anual, que é dividido pelos 20 clubes da seguinte forma: 40% de forma igualitária, 30% por premiação de performance e 30% de participação por exposição e aparições da equipe transmitidas na TV aberta ou fechada.

A ele soma-se, obviamente, a distribuição de direitos em outras competições, como estaduais, Copa do Brasil, Copa Libertadores, Copa Sul-Americana, entre outros.

Patrocínio

Outra receita de grande valia para os clubes são os patrocínios. Outrora fixos somente para exploração da marca, agora as parcerias contam, inclusive, com variáveis, como no caso dos clubes com bancos digitais.

Um dos exemplos é o Banco BS2, que paga ao Flamengo R$ 15 milhões fixos, além de variáveis como premiações por objetivos conquistados e R$ 10 por cada conta digital totalmente gratuita aberta por sua nação, o que dava projeção de mais de R$ 30 milhões anuais.

Nos mesmos moldes que o rubro-negro carioca, Corinthians, Atlético e Vasco têm como principal parceiro o Banco BMG, que possui uma conta digital exclusiva para cada um deles, destinando parte das receitas, além de valores fixos aos clubes.

Bilheteria

Outrora fonte primordial de receita para os clubes é a bilheteria. A venda de ingressos ou pacote deles fez com que seis equipes do futebol brasileiro faturassem mais de R$ 30 milhões em 2019. Veja abaixo o ranking das que tiveram maior sucesso com bilheteria no ano passado:

  • 1º – Flamengo: R$ 59.647.533,00
  • 2º – Corinthians: R$ 52.543.591,00
  • 3º – Palmeiras: R$ 43.766.328,00
  • 4º – Internacional: R$ 36.571.327,00
  • 5º – São Paulo: R$ 33.122.833,00
  • 6º – Grêmio: R$ 30.519.490,00

Sócios

Além dos já tradicionais associados que pagam mensalidades para usar as instalações sociais dos clubes, os times de futebol passaram a ter como garantia de receitas mensais os sócios-torcedores.

Esses dados são imprecisos, uma vez que cada clube tem sua metodologia (alguns, por exemplo, consideram o número sócios totais. Outros, só adimplentes). Porém, é sabido que em janeiro de 2020 o Vasco era o clube brasileiro com mais torcedores que se aderiam ao movimento, com 181 mil associados adimplentes.

Venda de jogadores

Outra receita dos clubes é a venda de atletas. Nesse quesito, o Flamengo vem se destacando, inclusive internacionalmente. Na janela de verão (inverno na Europa) deste ano, que vigorou até 31 de janeiro, o rubro-negro foi o clube que mais faturou com venda de atletas no planeta.

No total, a equipe rubro-negra recebeu 36 milhões de euros (R$ 165,6 milhões na cotação da época) com vendas de atletas. Só a transação de Reinier com o Real Madrid rendeu 30 milhões de euros (R$ 138,9 milhões, à época).

Merchandising e outras

Os clubes de futebol também faturam alto na venda de produtos licenciados e receitas dentro dos estádios em dias de futebol. Somando essas duas variáveis, por exemplo, o Palmeiras teve R$ 17 milhões em lucro somente em 2018 (último dado divulgado), sendo o clube que mais faturou no país com exploração de marca e experiências durante os jogos.

2 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*