Quer financiar a compra de um carro e não sabe por onde começar? Para iniciar com o pé direito e se dar bem nesse consumo é preciso se informar, entender como funciona e quais são os tipos de financiamento de carro.

Como funciona o financiamento de carros?

O financiamento de carros é feito entre o consumidor e o banco ou financeira. Estas empresas cedem dinheiro apenas para o cliente que irá comprar um bem. Diferente do empréstimo, as taxas são mais baratas já que esse foi criado para ajudá-lo. Para se obter o financiamento ou CDC ( Crédito Direto ao Consumidor) é necessário entrar em contato com banco para possuir as informações e fazer as negociações que são realizadas de acordo com a renda do comprador. Outra vantagem dessa forma de compra é que a concessionária não pode intermediar, apenas o banco e você. Existem também outras opções como a leasing, ou seja, locação financeira ou aluguel, onde, por meio de um contrato, a empresa que se dedica à exploração de leasing compra um bem a pedido do seu cliente para que ele possa alugar. Assim, a empresa que comprou o imóvel recebe um valor fixo do seu cliente durante o período contratual, semelhante a um aluguel. A outra forma é o consórcio que é um investimento e sorteio em meio aos participantes.

Os tipos de financiamento:

1) Crédito direto ao consumidor

Por esse meio o comprador entra em contato com um banco que faz um empréstimo para a compra do carro. Assim, negociam valores das parcelas, do total, dos juros e taxas, sem que a loja interfira. As taxas nesses contrato são fixas, não há mudanças no preço das parcelas durante o pagamento, há também a taxa de IOF ( Imposto Sobre Operações Financeiras). Caso o cliente não pague as prestações antes do tempo determinado para quitar o carro o banco age judicialmente e pode leiloar o carro. No caso de atraso a multa deve ser menor que 2% do total da dívida e os juros por mês de atraso devem ser menor que 1% da dívida.

2)Leasing

Por esse meio o comprador entra em contato com uma empresa própria em leasing que aluga um carro ao consumidor, desse modo o cliente paga mensalmente o aluguel do carro até pagar o seu valor total, no fim do pagamento o automóvel passa para o nome daquele que antes apenas o alugava. Sem que a concessionária interfira, o cliente e o banco de leasing podem negociar as parcelas, o total e as taxas.

Nesse caso as taxas de juros são fixas e não é cobrado o IOF. Caso o cliente não pague as prestações antes do tempo determinado para quitar o carro eles agem judicialmente para tomar o carro. No caso de atraso a multa deve ser menor que 2% do total da dívida e os juros por mês de atraso devem ser menor que 1% da dívida.

3) Consórcio

Por esse meio é feito um grupo de pessoas com o mesmo interesse, ou seja, adquirir um carro. Nesse sentido, todo mês os clientes do grupo pagam uma prestação e um deles consegue o carro por meio do sorteio, assim é feito todo mês. As desvantagens são que nessa situação as parcelas não são fixas, elas podem aumentar ou diminuir de acordo com o mercado, é cobrado também uma taxa referente a administração do grupo que varia de acordo com a empresa e há a taxa de IOF. Caso o cliente não pague as prestações do consórcio ele será excluído e participará do sorteio dos excluídos ao ser sorteado apenas quitará sua dívida. No caso de atraso é aplicada uma multa de 2% que pode haver alterações já que o preço das parcelas são mutáveis.

Documentos necessários para realizar os financiamentos

É preciso a carteira de identidade, CPF, comprovante de estado civil, comprovante de rendimentos, todos originais e cópia de ambos.

Gostou? Compartilhe agora mesmo!

Deixe seu Comentário