Embora não seja uma garantia de emprego, fazer uma faculdade ainda é algo que os empregadores dão o devido valor na hora de contratar um determinado profissional. Afinal com tantas pessoas que possuem ensino superior a escolha de um profissional praticamente em todas as áreas está nivelada por cima. 

As dificuldades para cursar o ensino superior são muitas, de tempo e disponibilidade, de demanda e principalmente financeira. Por isso é normal que possa surgir o seguinte questionamento: “não tenho dinheiro para pagar uma faculdade e agora?”

Saiba que embora isso possa parecer um grande impedimento, ainda mais com rumores sobre a extinção do Financiamento Estudantil (Fies), há algumas soluções viáveis para você realizar o sonho de ter um diploma! E nós estamos aqui para te ajudar a encontrar outras soluções.

O Fies

O Fies é o financiamento da categoria feita pelo Estado, ou seja, ela possui os juros mais baixos do mercado, porém acarretou apenas em 2019 um rombo que ultrapassou os R$ 13 bilhões, o maior em 20 anos. 

Isso aconteceu pois 60% dos usuários do programa estão com parcelas atrasadas, o que com certeza coloca em risco essa importante ferramenta de Educação. 

Ainda assim o programa de financiamento estudantil do Governo Federal está de cara nova, com um ‘Novo’ Fies que divide o programa em diferentes modalidades, possibilitando juros zero a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato. 

Segundo o Governo o novo programa traz melhorias na gestão do fundo, com mais sustentabilidade financeira a fim de garantir a sustentabilidade do programa e viabilizar um acesso mais amplo ao ensino superior.

A primeira modalidade, além de ofertar vagas até com juros zero para os estudantes que tiverem uma renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos, ainda possibilitará ao aluno começar a pagar as prestações respeitando o seu limite de renda, fazendo com que os encargos a serem pagos pelos estudantes diminuam consideravelmente.

Já uma segunda modalidade do financiamento, denominada P-Fies, será destinada aos estudantes com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos e funcionará com recursos dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento e ainda, com os recursos dos Bancos privados participantes.

As inscrições para o Novo Fies serão de 5 a 12 de fevereiro de 2020, e é necessário ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e obtido desempenho satisfatório, a nota de corte vai variar de acordo com o curso e o aluno não poderá ter zerado a redação.

Pravaler

Se mesmo assim você não conseguir uma vaga pelo Fies, ou o programa deixar de existir, fique tranquilo, existem outras opções similares disponíveis como o PRAVALER.

Ao contrário do Fies que é público e traz mais exigências para conseguir o financiamento, o PRAVALER é um programa de crédito universitário privado, sendo de certa forma de mais fácil acesso. 

O programa privado possui o intuito de ajudar os alunos a parcelarem o valor da mensalidade de uma faculdade de forma mais fácil. Ele pode ser utilizado em cursos de graduação, pós-graduação (especialização, mestrado, doutorado, MBA) ou até mesmo de nível técnico.

Nas universidades parceiras do PRAVALER você pode financiar seus estudos com juros muito baixos ou até sem juros dependendo da instituição. No site do PRAVALER você confere todos os parceiros, faz uma simulação e realiza seu cadastro.

Quero Bolsa

O Quero Bolsa se trata de um projeto de iniciativa privada que oferece bolsas de estudo parciais. Para se cadastrar no site de ofertas de bolsas, não é preciso comprovação de renda ou realização de prova, para isso basta entrar no site, consultar as universidades e cursos com bolsas disponíveis e fazer a pré-matrícula no curso escolhido, caso consiga a bolsa o desconto será válido até o fim do curso.

Educa Mais Brasil

O Educa Mais Brasil é um programa privado, criado em parceria com as principais instituições particulares do país, o programa disponibiliza milhares de bolsas de estudo, com até 70% de desconto. No caso desse programa a bolsa é válida para o período acadêmico em que o aluno foi contemplado, mas pode ser renovada semestralmente, até que o aluno conclua o curso.

Sisu

O Sisu (Sistema de Seleção Unificada) é um sistema criado pelo MEC (Ministério da Educação) com o objetivo de democratizar e facilitar o acesso às vagas em instituições públicas de ensino superior. O Sisu, juntamente com o ENEM, possibilita ao candidato conseguir vaga em uma das instituições públicas do Brasil.

Prouni

O Prouni (Programa Universidade Para Todos) é mais um programa criado pelo MEC, porém diferentemente do Sisu que é direcionado às faculdades públicas o Prouni oferece bolsas de estudo parciais e integrais em instituições privadas de ensino, para estudantes de baixa renda, sem formação em ensino superior, para participar do programa é necessário realizar o ENEM e obter desempenho satisfatório assim como no Sisu. 

Outras opções

Existem ainda outras opções já que muitos bancos, instituições e empresas de crédito oferecem opções de financiamento estudantil, porém embora a modalidade possa ter juros mais baixos do que os de outros tipos de financiamento, estes ainda são mais altos do que os do Fies por exemplo.

Algo que pode ser considerado vantagem nessas opções é que não há necessidade de se encaixar nas exigências do financiamento do governo, como comprovação de renda e desempenho satisfatório no ENEM.