A nova modalidade chamada pagamento móvel vem sendo apontada como uma das mais promissoras linhas de negócio das empresa de tecnologia e telecomunicação, segundo os especialistas.

Essa tecnologia, que começou a se popularizar no ano de 2019, promete trazer pagamentos mais rápidos, sem filas e uma grande migração de celulares.

A tecnologia mais comum é a de aproximação, na qual o consumidor encosta o celular na máquina de cartão e a transação é efetuada, às vezes sem a necessidade de digitar sua senha. Portanto, não é preciso mais sacar dinheiro quando estiver na rua, já que quase todas as maquininhas aceitam aproximação do celular ou do relógio. Com o celular e o relógio (smartwatch) no pulso, a carteira pode até ficar em casa.

Não à toa, essa modalidade tornou-se o xodó de quem gosta de explorar as funcionalidades dos aplicativos do telefone, utilizando essas possibilidades para organizar cartões e controlar contas, além de reverter os gastos em milhas e pontuação junto à operadora do cartão de crédito.

Se você é um deles ou planeja ser, venha conosco e saiba mais sobre a funcionalidade que é uma das mais promissoras do momento.

Tecnologia

Em síntese, o pagamento por aproximação visa possibilitar ao cliente a possibilidade de não precisar inserir ou passar o cartão, necessitando apenas estar de posse de um dispositivo e aproximá-lo da máquina de pagamento. A tecnologia é chamada de NFC (Near Field Communication), em português Comunicação por Campo de Proximidade.

Se você se preocupa com o meio, saiba que o Investimento e a adaptação estão sendo realizados de forma contínua pelas operadoras, que agora oferecem um processo no qual os sistemas de inteligência artificial aprendem à medida que recebem mais dados. Portanto, com o passar do tempo, vamos evoluindo em termos de conhecimento e, consequentemente, em aprovações. Com isso irá mudar a intensidade e segurança do uso.

Quais são os benefícios?

  • Um dos maiores benefícios do pagamento por aproximação é a praticidade e segurança do cliente, pois você não precisa portar dinheiro para efetuar suas compras;

  • A modalidade acaba por ser mais segura do que o porte de cartões tradicionais, já que minimiza a possibilidade de dano físico do mesmo.

  • Outro benefício é a impossibilidade de pagamento duplicado caso você encoste sem querer duas vezes o celular ou a pulseira.

  • Para realizar uma compra de determinado valor, é necessário um código de uso pessoal que é enviado junto ao relógio ou aparelho das informações da conta.

  • No caso do pagamento com o celular, não é preciso levar o cartão de crédito no momento da compra, mas é muito importante verificar antes e saber se o aparelho é compatível com o sistema NFC.

  • Para as pulseiras, basta aproximar sem precisar de senha.

  • Diversos bancos já estão oferecendo aos seus clientes cartões e aplicativos que realizam pagamentos por aproximação.

  • No caso de celulares, o cliente pode realizar pagamentos por meio de uma carteira digital com seu smartphone.

Quais os prejuízos?

  • Quando a transação é maior que R$50,00 é necessário usar a senha, um limite muito baixo para essa nova modalidade.

  • Foi descoberto que alguns hackers conseguiram enganar o limite, e a alteração não tem mais valor máximo. Eles conseguem realizar transações com valores altos. Um grande prejuízo para essa inovação.

  • Alguns golpes estão sendo aplicados com a nova tecnologia, no momento em que o cliente está comprando ou distraído, o golpista aproxima a maquininha do bolso ou da bolsa dele e consegue realizar o pagamento, que é autorizado na hora.

Essa modalidade é segura?

A segurança é o objetivo  fundamental para essa transação. E pode-se dizer que é muito mais segura do que os cartões tradicionais.

A partir do momento em que o relógio desconecta do pulso, é necessário colocar a senha do cartão de crédito novamente. Com isso, fica cada vez mais difícil fazer a clonagem.

De acordo com especialistas, a inovação é mais segura e poderá transformar, em breve, o cartão de plástico mais seguro do que os cartões tradicionais ou quando pagamos no dinheiro.

Cada transação por aproximação inclui um código criptografado válido para uma única transação, o que protege a negociação de fraudes, conforme relata o vice-presidente da Stefanini, companhia especializada em segurança e tecnologia da informação. “Quando você usa a proximidade, você usa uma transmissão cifrada, com chaves que precisam ser combinadas de ponta a ponta. É muito mais seguro do que colocar o cartão na maquininha e digitar a senha. O chip não foi eliminado do processo, mas a tecnologia de transmissão de dados é um pouco diferente”.

Mas, como se proteger?

Como relatou o consultor de tecnologia Gilberto Sudré, há duas dicas para você se proteger caso utilize o cartão ou o relógio de aproximação:

  • Primeiramente, desabilite a função de proximidade que pode ser realizada pelo aplicativo ou com a empresa do próprio cartão.

  • É aconselhável, também, utilizar carteiras revertidas por metal ou por um tipo de material especial. Assim, eles poderão bloquear a ação das maquininhas que se aproximam. O correto é guardar o cartão de crédito dentro das carteiras revertidas para não receber nenhum fraude e uma fatura no valor altíssimo no final do mês.

Assim, o pagamento por aproximação é prático e muito seguro, oferecendo agilidade e segurança ao dia a dia, pois o cliente precisará apenas levar seu celular ou a pulseira para efetuar todas as suas compras.

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*