Mais de 50 países já restringiram as fronteiras a estrangeiros por causa da pandemia do novo coronavírus. A medida é uma das maneiras de conter o avanço da covid-19 que, segundo boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS), já atingiu 151 nações e territórios. No início da disseminação da doença, o controle de acesso ou suspensão de voos tinham como alvo a China, o primeiro local a registrar casos da nova enfermidade. Com a disseminação da doença nas últimas semanas, no entanto, os controles de fronteiras envolvem um número cada vez maior de países.

Na contramão de vizinhos como Argentina e Colômbia, o Brasil optou por ainda não restringir totalmente a entrada de estrangeiros. O presidente Jair Bolsonaro afirmou apenas que adotará controle maior e exigir exames para quem quiser entrar no País a partir da Venezuela. No Brasil, mais de mil casos já foram confirmados e o País já registra transmissão local do vírus, de acordo com o Ministério da Saúde. São Paulo é o Estado que contabiliza mais notificações com resultados positivos.

A circulação do vírus foi originário na China, que concentra a maioria dos casos da doença (cerca de 81 mil no total), mas Coreia do Sul e Irã são países que têm número elevado de registros. A Itália é o principal foco do coronavírus na Europa, considerado o atual epicentro da pandemia.

Países restringem, total ou parcialmente, as fronteiras

O crescimento acelerado da pandemia de coronavírus fez com que países, ao redor do mundo, restringissem, totalmente ou parcialmente, as fronteiras. A seguir, listamos os países que tomaram tal medida:

Fechamento total

  • África do Sul
  • Suíça
  • Chipre
  • Guatemala
  • Quênia
  • Marrocos
  • Argentina
  • Colômbia
  • Honduras
  • Noruega
  • Ucrânia
  • Sudão
  • Chile
  • Egito
  • Peru
  • Índia
  • Uganda
  • Rússia

Componentes da União Europeia

  • Dinamarca
  • França
  • Letônia
  • República Tcheca
  • Alemanha
  • Eslováquia
  • Grécia
  • Lituânia
  • Romênia
  • Áustria
  • Eslovênia
  • Holanda
  • Luxemburgo
  • Suécia
  • Bélgica
  • Espanha
  • Hungria
  • Malta
  • Bulgária
  • Estônia
  • Irlanda
  • Polônia
  • Chipre
  • Finlândia
  • Itália
  • Portugal
  • Croácia

Fechamento parcial

  • Paquistão
  • Irã
  • Afeganistão
  • Irã
  • Paraguai
  • Brasil
  • Venezuela
  • Turquia
  • Irã
  • Canadá
  • EUA
  • Venezuela
  • Japão
  • Coreia do Sul
  • China
  • Itália
  • Uruguai
  • Argentina

Brasil estuda fechar fronteiras com mais países

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, informou, na última quarta-feira (18), que o Brasil considera fechar as fronteiras com outros países, após a pandemia do coronavírus pelo mundo. Segundo ele, o governo federal está avaliando essa possibilidade e tratou do tema por videoconferência com as demais nações do Mercosul (grupo formado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai), que já adotaram medidas para barrar a entrada de brasileiros e estrangeiros de outras nações nos seus territórios.

“Está em avaliação dentro do governo federal a possibilidade do fechamento temporário, exclusivamente por medidas sanitárias, da fronteira do Brasil com outros países, nos termos normalmente semelhantes a essa medida feita em relação à Venezuela. Claro que, talvez, com circunstâncias diversas”, disse Moro, em coletiva de imprensa do Executivo federal realizada nesta quarta (18), no Palácio do Planalto.

No último domingo (15), a Argentina decretou o fechamento de todas as fronteiras do país por 15 dias e só vai autorizar a entrada de argentinos ou estrangeiros residentes. Na terça (17), o Uruguai optou pelo fechamento das fronteiras terrestres com o Brasil nas cidades de Santana do Livramento, Quaraí, Jaguarão, Barra do Quaraí, Chuí e Aceguá, todas no Rio Grande do Sul. Já nesta quarta (18), o Paraguai também decidiu fechar por 15 dias a Ponte da Amizade, que fica na divisa do país com o Brasil entre as cidades de Foz do Iguaçu (PR) e Ciudad del Leste.

Por enquanto, a única fronteira interditada é a entre o Brasil e a Venezuela, na cidade de Pacaraima (RR). A decisão do governo federal foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta (18). Segundo a portaria, a divisa entre os dois países ficará fechada parcialmente por um período de 15 dias, que pode ser prorrogado caso haja uma recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Durante este tempo, estrangeiros oriundos da Venezuela terão o acesso “por rodovias ou meios terrestres” restringido. A medida não será aplicada nos casos de: brasileiros natos ou naturalizados; imigrantes com prévia autorização de residência definitiva em território brasileiro; profissionais estrangeiros em missão a serviço de organismo internacional, desde que devidamente identificados; e funcionários estrangeiros acreditados junto ao governo brasileiro. Quem descumprir a portaria pode ser deportado imediatamente e ser impedido de pedir refúgio no Brasil.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*