A Serasa iniciou nessa segunda-feira (15) uma ação de regularização em massa de débitos de consumidores. Para tal, ficou acertado que quem tem dívidas entre R$ 200 e R$ 1.000 poderá quitá-las integralmente com desconto que pode chegar a 90%.

Porém, para participar da rodada de renegociação, é preciso que a dívida esteja com a empresa Ativos, uma parceira da plataforma Serasa Limpa Nome. Para saber se a dívida poderá ser negociada nessas condições, com até 90% de desconto, o consumidor precisa acessar o site do Serasa Limpa Nome.

As informações também podem ser acessadas via aplicativo do órgão, que está disponível para Android e iOS. Afinal, no comunicado emitido á imprensa, a Serasa não especificou quais lojas e setores estarão englobados no acordo coletivo. Porém, é certo que mais de 1,5 milhão de consumidores poderão ser beneficiados por essa rodada de renegociação em massa.

A boa notícia é que não há um tempo determinado para renegociação das dívidas. Ou seja, basta ela estar ativa e disponível pela Ativos, para entrar na rodada de renegociação. Seguindo as recomendações das autoridades de saúde, as agências da Serasa que fornecem atendimento presencial permanecem fechadas.

Porém, além do site do Serasa Limpa Nome e do app da Serasa, o consumidor também pode regularizar seus débitos financeiros pelo Whatsapp, por meio do número: (11) 98870-7025.

Já sei para quem devo, e agora?

Se você realizou sua consulta no Serasa e já sabe o valor e o nome da empresa para qual deve, poderá quitar seu débito nessas condições.

Porém, caso tenha vários e o orçamento anda curto devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), você pode pegar um empréstimo mesmo estando negativado e quitar sua dívida.

Desse modo, você só se preocupa com as parcelas do empréstimo. Basta apenas pesquisar bastante até encontrar as que cabem no seu bolso.

E o que acontece depois?

Após o pagamento da primeira parcela da dívida ou a quitação da mesma, seu nome deixa de constar no cadastro dos órgãos de proteção ao crédito automaticamente em, no máximo, cinco dias.

1 Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*