Com a proximidade das festas de fim de ano, surgem grandes ofertas e com isso, vem à tona a quantidade de gastos extras que essas datas exigem. Segundo dados da Rakuten Advertising, que entrevistou mais de 8 mil pessoas durante os meses de junho e julho deste ano, 86% dos consumidores de e-commerce pretendem gastar em compras na Black Friday e Natal, mesmo com a crise financeira.

Os dados fazem parte da pesquisa “O Caminho para a Retomada: os Picos de Venda para 2020 Repensados”. O procurou entender quais foram os impactos gerados no comportamento de compra das pessoas diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e o que elas esperam para o último trimestre do ano.

Luiz Tanisho, country manager Brasil e VP da operação global da Rakuten Advertising, afirma que as empresas tiveram que acelerar as estratégias de atuação no e-commerce diante pandemia da Covid-19. Neste contexto, as marcas começaram a investir em novas estratégias para alavancar as vendas.

“A pandemia transformou não só a vida das pessoas como a atuação do mercado, que teve que achar novas maneiras para se adequar a um cenário onde o e-commerce virou a bola da vez. No Brasil, temos presenciado uma aceleração muito rápida. Muitas marcas viram-se obrigadas a priorizar suas estratégias de vendas online. Vimos muitos brasileiros optando pelo comércio eletrônico pela primeira vez”, afirma Tanisho.

Porém, para evitar que as compras causem grandes prejuízos, o head de operações da fintech Simplic, João Figueira, dá dicas que podem auxiliar o consumidor a aproveitar as festas. “Sabemos o quanto os gastos aumentam no final do ano e também no começo, por isso, é importante estar sempre em alerta para que os gastos não ultrapassem o limite da sua saúde financeira, se organizar é sempre a melhorar alternativa para não cair em dívidas”, completa o especialista.

1- Planejar gastos

Para João, a principal dica é planejar os gastos extras com a maior antecedência possível. Sondar presentes e ofertas o quanto antes é importante para reservar dinheiro para imprevistos ou futuras aquisições.

2 – Usar a tecnologia

Algumas plataformas como comparadores de preços e aplicativos de planilhas financeiras são essenciais para otimizar o controle financeiro. Além de reduzir o tempo gasto com essas ocupações, a tecnologia também permite facilidade de acesso.

3 – Ter um “plano B”

É interessante obter uma segunda opção, mais barata, para as listas de presente e compras de fim de ano. Assim, se os gastos do mês ultrapassarem o planejado, ainda será possível adquirir todos os produtos necessários.

4 – Pagar à vista

O especialista dá um alerta importante sobre uma situação recorrente: as parcelas. “Se muitas parcelas forem acumuladas, podem causar prejuízos no futuro. As parcelas devem ser utilizadas apenas quando o valor da compra é muito alto, ou quando não há outra opção. Se não for o caso, pagar à vista é a melhor opção, pois quita as responsabilidades sob esse valor”, explica.

5 -Evitar emprestar dinheiro / cartão de crédito

Por fim, o especialista afirma que não se deve emprestar dinheiro, nem senhas de cartão se está passando por alguma dificuldade financeira. Os gastos de outra pessoa podem atrapalhar a organização financeira e acabar causando dívidas ou contenções que não seriam necessárias.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*