O Banco Central divulgou na última semana os primeiros dados sobre o cadastro de chaves do PIX, o novo sistema de pagamentos brasileiro.

Os dados mostram que 33,8 milhões de chaves foram cadastradas pelos clientes dos bancos.

E mais uma vez, quem saiu vencendo foi o Nubank, que sozinho levou quase um quarto de todos os cadastros de chave do PIX, um montante de 24%.

Vitória inicial das fintechs

Aliás, a lista divulgada pelo Banco Central mostra que quem se deu melhor nesse início de batalha foram as fintechs, que pegaram todo o pódio.

Como já dissemos, o Nubank foi o líder com 24% dos cadastros e mais de 8 milhões de chaves registradas. O time roxo abocanhou sozinho mais de 8 dos 33 milhões de cadastros, uma performance incrível para quem tem apenas 5% de market share dos cartões de crédito no país.

Em segundo lugar, com um pouco mais da metade dos cadastros do Nubank, vem o Mercado Pago, com 4,7 milhões de registros. Disputa levemente ‘acirrada’ com o Pagseguro, o terceiro colocado, dono de 4,3 milhões desse montante.

A classificação dos poderosos

Os cinco maiores bancos do Brasil só entram nessa lista a partir do quarto lugar. E é com o Bradesco, dono de 3,7 milhões de cadastros. No quinto lugar vem o primeiro banco público, a Caixa Econômica com 2,4 milhões, seguida de perto pelo Banco do Brasil com 2,1 milhões, o sexto colocado.

O sétimo lugar vai para o maior banco do país, o Itaú Unibanco, dono de 1,7 milhão de chaves cadastradas. A gente esperava mais dele, não é? Imaginem então o tamanho da decepção do oitavo colocado, o espanhol Santander, que registrou apenas 1,6 milhão de chaves.

 

Quem pode ter se decepcionado…

Ainda é o início do processo do PIX, mas com certeza algumas instituições não estão felizes com o seu resultado e devem intensificar sua publicidade em cima disso.

Sem dúvidas o Santander deve ser o banco que mais sentiu, já que investiu muito no PIX, fez comerciais milionários e até criou uma plataforma própria para essa gestão, o SX. Era de se esperar algo melhor do que um oitavo lugar inicial, não é?

Laranja é a nova preocupação, já que o Banco Inter também não conseguiu solidificar o PIX dentre os seus clientes. O Inter ficou em 10º lugar com quase 890 mil cadastros, superado ainda pelo Picpay com 1,1 milhão.

O Inter teve cerca de 12% de seus clientes cadastrados, o que nem é tão ruim, mas viu o Nubank, um rival direto na sua área de atuação, com 32% de excelência.

E como explicar o sucesso do Nubank?

Parece que tudo o que o roxinho toca vira sucesso e mais uma vez ela sai na frente, agora com o PIX. Mas não foi por acaso, o Nubank também investiu nesses cadastros.

O banco criou a campanha “Tem WOW Nesse Pix”, que sorteará prêmios e até 50 mil reais para seus clientes que simplesmente façam seus cadastros até o mês de dezembro.

Aí ficou difícil bater de frente, não é?

Afinal, o que os bancos ganham com isso?

Teoricamente nada. Afinal, o serviço do PIX é completamente gratuito, sem ônus ao usuário. Mas se você cadastra o PIX no seu banco, tende a usá-lo lá, pelo menos de início.

E aí a regra é simples: mais uso, mais tempo com o banco, mais relacionamento, mais movimentações, operações, dinheiro girando e um cliente fidelizado.

O PIX é só uma operação bancária que, claro, todos os bancos querem que você realize junto a eles.

Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*