O Nubank anunciou na última segunda-feira (5) que estuda acabar com o rotativo do seu cartão de crédito. Para isso, o banco diz que está há quase um ano realizando testes com clientes para avaliar como reduzir os juros do chamado crédito rotativo. Segundo a maior fintech brasileira, a ideia é eliminar a modalidade já em 2021.

O projeto batizado de “Reinventando o Cartão de Crédito” pretende oferecer outras opções com juros menores, como a contratação de um empréstimo pessoal ou o parcelamento do valor integral da fatura.

De acordo com o banco, apenas 3% de seus 30 milhões de clientes usam o crédito rotativo atualmente e os testes apontaram que esses clientes acabam adotando a modalidade de forma involuntária, automática, sem uma avaliação mais concreta da melhor opção para ele.

Novas opções

As opções de parcelamento ou empréstimo pessoal oferecidas pelo Nubank terão juros mais baixos que o do crédito rotativo. Caso o cliente não possa pagar o valor total da fatura, terá a opção de pagar o valor mínimo e dividir o restante em até 12 parcelas.

Outra proposta, pensada pelo Nubank, é que o cliente adquira um empréstimo pessoal com maior número de parcelas. O cliente também pode antecipar parcelas ganhando desconto proporcional nos juros.

Registro das chaves do Pix

O anúncio da medida foi no mesmo dia em que começaram os registros das chaves do Pix. “O Pix representa o começo do fim das tarifas no setor financeiro”, afirma Cristina Junqueira em comunicado da empresa. “Estamos insatisfeitos com a taxa que cobramos hoje e desde o primeiro dia buscamos criar uma alternativa melhor.

Chegou o momento. Nosso novo modelo de cartão, sem a opção de rotativo, mais o contexto de Open Banking, que deve ser implantado no ano que vem, podem estabelecer um novo patamar de juros”, conclui a executiva.

Nubank vai premiar com até R$ 50 mil quem se cadastrar no novo sistema de pagamentos instantâneos

No último dia 5, começou o cadastramento de consumidores para as chaves do Pix, novo sistema de pagamento e transferências instantâneos lançado pelo Banco Central (BC) que entrará em funcionamento em 16 de novembro. As chaves substituem os dados exigidos para esse tipo de operação como nome, agência bancária, número da conta corrente ou poupança e CPF. Os clientes podem registrar as chaves digitais para enviar ou receber recursos em 667 instituições financeiras do país. Com isso, teve início uma disputa entre as instituições financeiras, para que os consumidores cadastrem suas chaves com elas.

O Nubank entrou nessa disputa com a promoção Tem WOW Nesse Pix, lançada nesta segunda-feira. Os clientes da fintech que registrarem suas chaves no banco digital entre outubro e dezembro e utilizarem o novo método para pagar suas contas e compras ou fazer transferências concorrerão a brindes, chamados WOW, geralmente enviados pela equipe de atendimento da empresa, conforme o relacionamento com o cliente. Agora, além dos mimos, serão sorteados seis prêmios de R$ 20 mil cada e cinco de R$ 50 mil.

Chave Pix

O cadastramento da chave Pix, embora não seja obrigatória, é uma forma de facilitar ainda mais essas transações, já que ele identifica o recebedor sem necessidade de informar dados como número da instituição, agência e conta.

Como cadastrar a chave Pix?

Para cadastrar a chave, basta que o interessado acesse o aplicativo da instituição em que tem conta e faça o registro, vinculando a uma conta específica uma das três informações: número de telefone celular, e-mail ou CPF/CNPJ. Há ainda a possibilidade de gerar uma chave aleatória, caso o cliente não queira compartilhar seus dados pessoais. As informações serão armazenadas em uma plataforma tecnológica desenvolvida e operada pelo BC, chamada Diretório Identificador de Contas Transacionais (DICT), um dos componentes do Pix.

Cada pessoa poderá cadastrar até cinco chaves em uma mesma conta. Por exemplo: CPF, dois telefones e dois e-mails; ou dois telefones e três e-mails. Entretanto, cada uma dessas chaves poderá ser vinculada a apenas uma conta, seja corrente, poupança ou pré-paga, ainda que na mesma instituição. Ou seja, o mesmo CPF, por exemplo, não poderá ser cadastrado em duas contas diferentes. Assim, ao informar uma chave ao pagador, o recebedor saberá identificar em qual conta os recursos serão creditados.

O cliente terá total flexibilidade para mudar as chaves entre as contas, assim como para excluí-las. A portabilidade tem prazo de sete dias para ser concluída.

No caso de utilização do número de telefone celular como chave, o cliente pode reivindicar a posse de determinado número. Nesse caso, as empresas de telefonia comercializam novamente esse número inativo, que pode ter sido cadastrado como chave do Pix. Assim, o novo cliente, caso queira cadastrar o número no sistema e ele ainda estiver vinculado ao cliente antigo, deverá reivindicar a posse.

Recomendados para Você
10 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*