Durante todos os anos, os proprietários de veículos devem realizar o pagamento obrigatório do Imposto sobre Propriedade Veicular Automotiva, o tão famoso IPVA.

No entanto, apesar da exigência anual, algumas pessoas podem, sim, se livrar do tributo, o que garante, dessa forma, um dinheiro extra.

Sendo assim, é possível ficar totalmente isento do pagamento do tributo e ter o IPVA grátis em 2021? A resposta, apesar de simples, varia de acordo com o estado do contribuinte.

Ficou interessado? Quer saber quais as condições em que este tipo de benefício ocorre? Como funciona em cada estado brasileiro? Continue na leitura e acompanhe, na sequência, com a gente!

Isenção do IPVA em 2021

Os veículos com mais de 10 anos de fabricação têm isenção do IPVA nos estados de Roraima e do Rio Grande do Norte.

Vale destacar, ainda, estados que preveem isenção por um tempo maior. Veja a lista, detalhada, a seguir:

– 15 anos: Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Goiás, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Sergipe e Tocantins;

– 18 anos: apenas o Mato Grosso;

– 20 anos: Alagoas, Acre, São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

Diferenciações em Outros Estados

Em Santa Catarina, os veículos que são fabricados até 1985 são isentos do tributo. Já nos estados do Pernambuco e de Minas Gerais, há um sistema diferente na cobrança do IPVA, em que há uma redução progressiva do valor do imposto cobrado.

Como Saber se Meu Carro se Encaixa na Isenção?

A conta, vale ressaltar, é simples. O proprietário deve consultar o documento oficial do seu carro para verificar o ano de fabricação e fazer a conta referente à validade de cada estado citado acima, para ver se o seu veículo se encaixa nas condições, listadas anteriormente.

No CRV ou CRLV, consta o “ano de fabricação” e o “ano-modelo”. Para o cálculo do IPVA, é levado em conta o “ano de fabricação” para a avaliação do valor venal.

Lojistas, pessoas físicas e a tabela FIPE consideram o “ano de fabricação” para estabelecer uma referência de valor de mercado.

Para Quem For Pagar o IPVA, Deve Fazê-lo Com Desconto, à Vista ou Parcelado?

Daqui a alguns dias, já chega a hora de pagar o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores) para quem tem carro.

Em São Paulo, por exemplo, o pagamento pode ser em cota única com desconto de 3% em janeiro; parcelado em três vezes (janeiro, fevereiro e março); ou à vista só em fevereiro, mas sem o desconto.

Sendo assim, a pergunta que fica é: qual a melhor opção?

O pagamento à vista, com desconto, é sempre o mais indicado por especialistas.

Caso o valor do IPVA seja de R$ 2.000, por exemplo, ele pagaria R$ 1.940. “Pagar à vista é sempre a melhor recomendação para quem guardou dinheiro”, afirma o educador financeiro, Reinaldo Domingos.

Devo Tirar o Dinheiro da Poupança Para Pagar à Vista?

O desconto de 3% gera dúvidas em quem possui o dinheiro, mas está investido.

Com a taxa básica de juros (Selic), que serve como referência a investimentos, a 6,5% ao ano, o proprietário do veículo ganharia mais pagando o imposto à vista do que deixando o montante investido.

De acordo com a associação de consumidores Proteste, para que o parcelamento valesse a pena seria necessário um rendimento médio mensal líquido de 1,55% ao mês ou 20,27% ao ano, um patamar difícil de obter em investimentos de baixo risco.

Para comparação, segundo a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), o rendimento da poupança “nova” é de 0,16% ao mês.

Dessa forma, é recomendado que ele retire o valor de aplicações conservadoras, como poupança “nova”, CDB ou Tesouro Direto, que não rendem muito mais que a Selic, e pague o IPVA.

O único porém é se o valor do IPVA for semelhante a tudo que ele tenha guardado. Nesse caso, vale parcelar, porque a pessoa pode ter uma emergência e precisar do dinheiro, orientou Domingos.

E Vale Fazer um Empréstimo?

Fazer empréstimo para pagar à vista não é bom.

Isso porque a taxa média do empréstimo pessoal ficou em 6,27% ao mês –alíquota muito além do desconto oferecido.

Quem está inadimplente e sabe que dificilmente conseguirá pagar o IPVA, não deve buscar um empréstimo, mas sim vender o carro, segundo Domingos. Para ele, o início de um novo ano deve fazer com que o proprietário coloque a vida financeira no eixo novamente.

Guarde um Pouco Todo Mês Para Pagar o Próximo IPVA à Vista

Como o IPVA é um gasto fixo e anual, é fácil fazer um planejamento para o imposto do próximo ano. Uma das formas é parcelar o valor e guardar um pouco todo mês.

Durante os 12 meses, o proprietário pode dividir o valor do tributo (do ano anterior) por 12 e economizar o montante a cada mês, colocando o dinheiro na poupança ou outra aplicação financeira de baixo risco.

Dessa forma, em janeiro, quando o carnê do IPVA chegar, ele terá o dinheiro para o pagamento à vista e aproveitará o desconto sem sustos.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*