Uma das medidas que pode ser adotada pelo Governo Federal, para fazer girar a economia e amenizar os impactos do novo coronavírus, seria a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), a trabalhadores que possui cota no fundo. A ideia seria baseada na liberação ocorrida no ano passado, quando trabalhadores puderam sacar até R$998 da conta.

Segundo o professor da PUC Minas e pós-doutor em Economia pela Universidade Nova de Lisboa, Jean Max Tavares, não haveria grande prejuízo ao fundo, já que o valor utilizado seria do PIS/PASEP. “Esse dinheiro viria dos fundos PIS/PASEP diretamente para o FGTS, visto que uma grande parte do valor desses fundos não foram resgatados pelas pessoas. Segundo o Ministro Paulo Guedes, esse valor corresponderia a R$ 22 bilhões. Dessa forma, o FGTS não seria prejudicado no futuro”.

Ainda não foram divulgados detalhes de como funcionaria a liberação, bem como o valor que o trabalhador poderia sacar. Segundo o economista, o processo funcionaria nos mesmos parâmetros do realizado ano passado: “O governo ainda estuda a melhor forma de fazer essa liberação, mas, ao que tudo indica, será nos mesmos moldes que a liberação feita desde o ano passado. Por outro lado, é provável que o valor do saque seja depositado na conta bancária do cotista, mesmo que não seja a Caixa Econômica Federal, em virtude de evitar aglomeração nas agências e casas lotéricas”.

Quanto cada pessoa terá direito a sacar do FGTS?

Quanto ao valor a ser liberado para cada pessoa, especula-se que o montante teria como base o teto do INSS, hoje cerca de R$6,1 mil. O economista Jean Max corrobora com esse posicionamento, mas faz uma ressalva. “O Ministro da Economia, Paulo Guedes, mencionou que o valor de R$ 21,5 bilhões do FGTS será disponibilizado aos cotistas. Especula-se que possa ser até R$ 6.101,06 – que seria limitada ao teto máximo dos beneficiários do INSS. Mas, esse valor dependerá, é claro, do quanto o cotista tem no FGTS. Por exemplo, se uma pessoa tem R$ 7.000,00 no FGTS, esse valor limite é quase 90% do total que ele possui e, dificilmente, o governo permitiria um saque que representasse quase a totalidade do que ele possui”.

Em relação ao público que seria beneficiário do projeto, Jean Max Tavares acredita que haveria um limite, com a medida favorecendo apenas os trabalhadores com renda mais baixa. “Todos os trabalhadores que possuem algum valor depositado em uma conta ativa no FGTS. Porém, o governo pode determinar que quem possua mais de R$ 30.000,00 no FGTS, por exemplo, não tenha o direito a sacar nenhum valor”.

Até mesmo que tem contas inativas do FGTS poderia ter direito ao saque, visto a situação emergencial pela qual passa o país, apesar de o governo ainda não ter se pronunciado sobre o assunto: “O governo ainda não divulgou essa informação. Imagina-se que sim, visto a dramaticidade da situação econômica do país diante da pandemia do COVID-19”, reforça o especialista.

Saque de R$998 do FGTS segue até fim do mês

Atenção você que está com a grana curta, devido á crise econômica pela qual passamos, e ainda não sacou os até R$998 do FGTS que tem direito, corra pois o prazo está acabando! O saque pode ser feito até o dia 31 de março. Segundo a Caixa Econômica, qualquer alteração no prazo do saque imediato por causa da crise do coronavírus depende de regulamentação do governo.

O banco alerta que, em meio à pandemia, a melhor forma para receber os valores é pelo “App FGTS”, que permite a transferência do valor para uma conta bancária em qualquer instituição financeira, sem nenhum custo. O aplicativo está disponível gratuitamente para celulares de sistema Android e iOS (iPhones).

Para acessar o sistema, é preciso fazer um cadastro pelo site, com o número do PIS e CPF. Apesar de não ser o ideal, também é possível realizar os saques do FGTS em casas lotéricas, caixas eletrônicos da Caixa ou agências do banco. Nas casas lotéricas, para sacar até R$ 100, basta levar o CPF e o documento de identificação.

Para sacar mais de R$ 100, é preciso levar o documento o Cartão Cidadão e a senha ou o documento de identificação e a Senha Cidadão. Já nos caixas eletrônicos, é possível sacar com o Cartão Cidadão e a senha ou o CPF e a Senha Cidadão. Nas agências da Caixa, é possível sacar com documento de identidade com foto, número do CPF e Carteira de Trabalho ou Cartão Cidadão e senha. Ou seja, quem não tem Cartão Cidadão ou Senha Cidadão só consegue sacar nas agências (com exceção dos trabalhadores que têm até R$ 100, que podem sacar nas casas lotéricas).

314 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*