Depois da Black Friday brasileira, que aconteceu de maneira antecipada no início deste mês, as principais empresas de comércio eletrônico do país continuam com promoções agressivas para aproveitar o ímpeto do consumidor por compras online na pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Desta vez, é o Mercado Livre que decidiu promover uma espécie de nova prévia da Black Friday, que, em tese, só ocorre na segunda quinzena de novembro.

O Mercado Livre, maior site de e-commerce da América Latina, está oferecendo, durante toda esta semana, desde o último domingo (27), até o próximo domingo (4 de outubro), produtos com descontos de até 70%, em compras acima de R$ 99.

Os descontos vão atingir produtos que vão de vinhos, espumantes e fraldas até brinquedos, jogos, artigos para casa e decoração, autopeças e vestuário.

Forte crescimento das vendas online

As maiores varejistas com plataforma online do Brasil, como o Magazine Luiza, a Via Varejo e o próprio Mercado Livre, estão registrando forte crescimento das vendas na casa de dois dígitos nos meses da pandemia, como reflexo da forte digitalização do comportamento do consumidor diante da pandemia e do fechamento ou restrições para o funcionamento do comércio de rua e de shoppings.

Durante esta semana de promoção, o Mercado Livre afirmou que vai oferecer entregas expressas, em até 24 horas, para compras feitas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Goiânia, Brasília e Salvador, no modelo conhecido como Full, em que o Mercado Livre fica responsável por todo o processo logístico, do vendedor até o envio do produto ao cliente.

Como não cair em ciladas durante a Black Friday?

A Black Friday acontecerá este ano no dia 27 de novembro, na sexta-feira após o feriado de ação de graças nos Estados Unidos. Contudo o consumidor brasileiro já pode tomar algumas iniciativas para não ter prejuízos ou cair em propagandas enganosas na data que reúne promoções e descontos no varejo. O Procon-SP recomenda que o consumidor já comece a pesquisar sobre o produto ou serviço de seu interesse – características, funções etc – e, principalmente, verificar qual o preço que está sendo praticado hoje no mercado. Dessa forma, no dia do evento, é possível avaliar se o preço é de fato promocional.

Para ajudar nessa árdua tarefa, você, consumidor, pode contar com aplicativos e sites de comparação de preços, tais como o Buscapé e o Zoom. Comparadores de preço já costumam incluir o histórico de preços dos produtos nas pesquisas.

Além disso, é recomendável também que você faça um print da tela com o preço ofertado atualmente pelo estabelecimento. Deste modo, será possível comprovar os valores em caso de eventual questionamento.

Procurar com antecedência informações sobre o evento e as marcas que irão participar também garante organização na hora da compra. Para consultar sobre um produto ou serviço a preferência deve ser sempre os canais oficiais.

Acompanhe, na sequência, outras orientações do Procon-SP:

  • Faça uma lista do produto ou serviço que precisa ou deseja e estipule um limite de gasto;
  • Observe o prazo de entrega e se informe sobre a política de troca da empresa;
  • Pondere o valor do frete. Se o valor for muito alto, o preço promocional pode não valer a pena;
  • É preciso ficar atento se há alteração no preço informado desde o início até o pagamento do produto/serviço.

Antes de qualquer compra online, é importante consultar a lista de sites não recomendados do Procon-SP como forma de evitar fraudes.

Quais são meus direitos?

As compras online garantem alguns direitos adicionais aos que estão previstos no Código de Defesa do Consumidor. Veja abaixo os principais:

1. Arrependimento

Em compras feitas fora da loja física, o consumidor tem sete dias para se arrepender, cancelar a compra, devolver o produto e pedir o dinheiro de volta. O prazo passa a contar a partir da data da compra ou da entrega do produto.

2. Direito à informação

Qualquer produto, seja ele nacional ou importado, deve apresentar informações corretas, claras e em língua portuguesa sobre suas características, qualidade, quantidade, composição, preço, garantia, prazo de validade, origem, além dos riscos que possam apresentar à saúde e segurança dos consumidores.

3. Custo de compras parceladas

Os produtos expostos nas vitrines devem apresentar o preço à vista e, se vendidos a prazo, o total a prazo, as taxas de juros mensal e anual, bem como o valor e número de parcelas.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*