Desde a última segunda-feira (5), os brasileiros já podem cadastrar oficialmente suas informações nos bancos e instituições de pagamento para o PIX, o novo sistema de pagamentos instantâneos e transferências desenvolvido pelo Banco Central (BC).

Embora muitas instituições financeiras tenham lançado um pré-cadastro para seus clientes, a adesão ao PIX será opcional e os bancos terão que confirmar com os clientes o efetivo cadastramento das chamadas “chaves PIX”.

O que é a chave PIX?

A “chave PIX” é uma espécie de “apelido” ou “atalho” para identificar e localizar cada conta no sistema. O cliente poderá cadastrar como chave um número de celular, um email ou o CPF ou CNPJ. Ao criar uma chave, o usuário realizará transações de maneira mais simples e ágil. Vale lembrar que o cadastramento não é obrigatório. “Não é obrigatório cadastrar uma chave para fazer ou receber um PIX. Caso o usuário queira usar o sistema de pagamento instantâneo, sem a chave PIX, será preciso digitar todos os dados bancários do destinatário para realizar uma transação”, informa a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Quase 650 instituições cadastradas

De acordo com o Banco Central, 644 instituições já estão prontas para iniciar o cadastro das chaves a partir desta segunda. “Dentre as instituição aprovadas, há uma multiplicidade de agentes, entre bancos, cooperativas, instituições de pagamentos, fintechs, financeiras, entre outros”, informou o BC.

Início em novembro

O serviço propriamente dito será ativado no dia 16 de novembro em todo o país, mas, a partir do dia 3 de novembro, o PIX começará a ser disponibilizado já para alguns clientes selecionados para uma fase de testes.

A expectativa é que o sistema seja o grande substituto de DOCs e TEDs, por ser gratuito, instantâneo e estar disponível a qualquer hora, sete dias por semana. A previsão é que a maioria das transações seja aprovada e finalizada em até dez segundos. Este tempo pode ser maior caso haja suspeita de fraudes.

Como cadastrar a ‘Chave PIX’?

Para usar o novo sistema de pagamentos instantâneos, bastará ter uma conta corrente, conta poupança ou uma carteira digital de uma instituição financeira com cadastro no PIX. A opção estará dentro do aplicativo bancário e no internet banking do cliente, assim como já estão outras funcionalidades, como DOC e TED, por exemplo.

Com o cadastro de uma “chave PIX”, as transferências poderão ser realizadas de maneira mais ágil. Isso porque vinculará as informações básicas do usuário aos dados completos que identificam a conta do cliente.

Com o cadastro, bastará informar a “chave PIX” para um contato para receber uma transferência. Ao digitar a chave, os dados da conta do destinatário aparecerão automaticamente na hora de realizar a transação, bastando conferir a identificação e digitar os valores antes de confirmar a operação.

O que poderá ser cadastrado como chave PIX?

Os quatro tipos de chaves Pix que poderão ser usadas e cadastradas são:

  • Número de CPF/CNPJ;
  • Endereço de e-mail;
  • Número do telefone celular;
  • EVP (sequência alfanumérica de 32 dígitos que, após solicitação do cliente ao seu banco, será enviada pelo Banco Central à instituição, e com ela será possível criar um QR Code, sem necessidade de ter que informar o CPF, telefone ou email a um desconhecido).

A Febraban explica, porém, que não será possível vincular uma mesma chave para mais de uma de uma instituição financeira. Ou seja, se no banco A, o cliente cadastrar um email, no banco B terá que cadastrar um outro email ou então o número de celular ou CPF. “Independente do cadastro de uma chave o sistema vai permitir receber ou enviar um PIX usando a opção inserção manual. Nessa situação, será necessário informar os dados de banco, agência, conta, CPF e nome do favorecido, de forma semelhante à que acontece hoje com TEDs e DOCs”, explica a Febraban.

Utilização de QR Code

As transações pelo PIX poderão ser feitas também por meio de QR Code, o que permitirá que o cliente tanto efetue um pagamento no comércio ou gere um código próprio para receber uma transferência, podendo inclusive já definir o valor da transação. No lugar de informar os dados de uma conta para depósito, bastará, por exemplo, enviar um QR Code por email ou aplicativo de troca de mensagens.

O QR Code possuirá dois formatos no PIX:

  • Estático: que poderá ser utilizado para transferências ou compras no comércio, quando as informações para pagamentos tem preço fixo (Exemplo: vendedor de água de coco);
  • Dinâmico: que poderá ser utilizado quando as informações para pagamentos mudam (Exemplo: supermercado, quando o valor de cada compra é diferente).
Recomendados para Você
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*